UOL Notícias Notícias
 

02/05/2006 - 17h17

Laboratório europeu pronto para equipar a Estação Espacial Internacional

Por Isabel Parenthoen=(FOTOS)= BREMEN, Alemanha, 2 mai (AFP) - O laboratório espacial europeu Columbus foi entregue nesta terça-feira à Agência Espacial Européia (ESA), mas o módulo de um bilhão de euros terá que esperar até o fim de 2007 para ser levado para a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), pois depende do lançamento de um ônibus espacial americano.

A chanceler alemã, Angela Merkel, comemorou este "exemplo fascinante" de cooperação na área de tecnologia de ponta na Europa, durante uma cerimônia em Bremen (oeste da Alemanha), na sede da EADS Space, filial do consórcio aeroespacial europeu EADS, encarregado do projeto.

"Deveria ser um objetivo político permanecer na ponta da tecnologia e do conhecimento científico", afirmou Merkel, física de formação. "O potencial científico em si tem um valor inestimável" e não deve ser avaliado unicamente em função de suas aplicações comerciais.

A Alemanha quer fazer da "excelência na pesquisa científica" uma prioridade da presidência da União Européia, que exercerá no próximo ano, acrescentou. A UE favorece por enquanto os programas científicos aplicados.

Dez países europeus da ESA participam do programa Columbus. A Alemanha é o principal contribuinte (41% dos 971 milhões de euros de gastos de desenvolvimento), seguida de Itália (23%) e França (18%). Os gastos de lançamento, avaliados em 250 milhões, serão entregues à Nasa sob a forma de tecnologias "made in Europe".

A entrega oficial deste módulo de 6,7 m de comprimento por 4,5 de diâmetro e pesando 13 toneladas no lançamento, repleto de equipamentos de pesquisa em microgravidade, põe um fim a dez anos de desenvolvimento. A estrutura, construída pela Alcatel Alenia Space em Turim (Itália), foi levada para Bremen em 2001.

Como símbolo da dimensão européia do projeto, os nomes e as assinaturas dos 750 engenheiros e técnicos que participaram dele foram gravados em uma placa de ouro colocada no interior do laboratório.

O Columbus será transportado por um avião Beluga da Airbus até o centro espacial Kennedy, em Cabo Cañaveral (Flórida, EUA), onde deve chegar em 30 de maio. Será uma longa viagem de 6.000 km, antes da segunda etapa, em vôo vertical de apenas 400 km, a bordo da nave espacial americana o colocará em órbita.

Mas para isto a Nasa precisa assegurar os vôos previstos para este verão, destacou a administradora adjunta, Shana Dale. "Uma vez o façamos, estaremos prontos" para transportar o Columbus durante o "segundo semestre de 2007".

Os vôos do ônibus espacial, iniciados em 1981, tiveram dois grandes acidentes: em 1986, com a explosão do Challenger no lançamento, e em 2003 com a desintegração do Columbia na reentrada. Nos dois acidentes, morreram 14 astronautas. Suspenso durante dois anos e meio, o programa de vôos dos ônibus espaciais deve ser retomado em julho.

Uma vez em órbita, o laboratório espacial será utilizado para fazer experiências científicas sobre biologia (células, microorganismos e invertebrados), física (fluidos) e ciências médicas (cristalização e diagnóstico de proteínas).

Durante sua vida útil, prevista até 2015, o "Columbus estará aberto aos programas científicos e industriais", disse o diretor-geral da ESA, Jean-Jacques Dordain. De fato, 5% dos projetos selecionados por enquanto são destinados a aplicações industriais (metalurgia e petróleo).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    -0,24
    3,262
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h22

    0,11
    63.830,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host