UOL Notícias Notícias
 

30/05/2006 - 18h17

Cientistas russos conseguem isolar elemento 114 superpesado

MOSCOU, 30 mai (AFP) - Pesquisadores russos conseguiram um feito inédito no campo dos novos elementos químicos superpesados e estáveis, ao conseguirem isolar por meio segundo, tempo considerado fantástico, o elemento 114 da tabela periódica de Mendeleev, anunciou nesta terça-feira o jornal "Izvestia".

"Meio segundo é um tempo fantástico, segundo os critérios nucleares", afirmou o jornal russo ao noticiar a conquista, publicada em sua capa. Os de número elevado (acima de 93) são elementos periódicos artificiais, cuja existência, na maioria dos casos, dura apenas milésimos de segundo.

Os cientistas reconhecem atualmente a existência de 111 elementos químicos, desde o hidrogênio (1) até o ununúnio (111), e em breve poderiam admitir a existência do elemento 112, isolado por vários laboratórios do mundo. A partir do elemento 114, deveriam ser encontradas substâncias muito mais estáveis, especulam os cientistas.

O Instituto de Pesquisas Nucleares de Dubna (ao norte de Moscou) conseguiu o feito anunciado pelo Izvestia na qualidade de um dos centros mais avançados do mundo na busca de elementos químicos superpesados, que pode utilizar nas pesquisas sobre o plutônio, proibidas em outros países por razões de segurança.

Nesse contexto, o instituto russo, dirigido por Yuri Oganessian, bombardeou um átomo de plutônio 242 com íons de cálcio 48, propulsados por um acelerador a um décimo da velocidade da luz, explicou o jornal.

O isótopo do elemento 114 gerado pela colisão entrou então em uma câmara contendo uma mistura de hélio e argônio a pressão atmosférica. Em cerca de meio segundo, transformou-se em isótopo do elemento 112, que foi transportado por um reator de gás para outra câmara criogênica.

Cálculos científicos permitiram determinar que o elemento 112 comporta-se quimicamente como o mercúrio. Dessa forma, combinou-se com o ouro de um detector localizado na câmara, como o ouro se combina espontaneamente com o mercúrio para formar o amálgama. Esse método de detecção química prova com maior precisão a existência do elemento 112, que os cientistas russos foram os primeiros a descobrir.

Os elementos químicos superpesados e estáveis constituiriam excelentes materiais físseis, mas atualmente sua fabricação consome muito mais energia do que a que pode produzir a sua desintegração.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,26
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h47

    -0,36
    75.121,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host