UOL Notícias Notícias
 

05/06/2006 - 09h23

Alan García vence as eleições presidenciais peruanas

Por Roberto Cortijo LIMA, 5 jun (AFP) - O social-democrata Alan García mantém uma vantagem de 9,4 pontos percentuais sobre o nacionalista Ollanta Humala, com 84% dos votos apurados, o que o aproxima de um segundo governo, depois de 16 anos longe do poder.

García, de 57 anos, que registrava nesta segunda-feira 54,7% dos votos segundo dados oficiais, prometeu na campanha uma mudança "responsável". Humala, de 43 anos, considerado um aliado do chefe de Estado venezuelano Hugo Chávez, que propôs a nacionalização dos recursos naturais, somava 45,3% dos votos.

O candidato do Partido Aprista Peruano (Apra) recebeu o voto de 6.158.588 peruanos, enquanto que seu adversário da União pelo Peru (UPP) obteve o apoio de 5.101.624 eleitores, informou o Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE).

A diferença a favor de García é de 1.056.964 votos.

García em um grande comício, realizado no domingo à noite, agradeceu aos peruanos o voto a seu favor, que segundo ele também serviu para derrotar as tentativas do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de incorporar o Peru "em sua estratégia de expansão do modelo militarista e retrógrado".

García, um ex-presidente (1985-1990) que deixou o Peru imerso em uma forte crise econômica, disse que todo aprista deve dar graças à História. "Digamos diante dela que nesta segunda oportunidade morreremos no empenho de não falhar nem enganar os peruanos", disse.

Caso sua vitória se confirme, ele governará até 2011 a partir de 28 de julho, dia da festa nacional.

Os apristas cantavam também "Chávez, ouça, García já ganhou", em uma mensagem dirigida ao líder venezuelano, que travou um duro embate durante toda a campanha com Alan García.

"Saiba que aqui há um povo digno" e que "estamos cansados de militaristas e mandões", acrescentou.

Humala, um tenente-coronel da reserva, destacou que o projeto nacionalista conquistou uma histórica vitória social e política no processo eleitoral. "Somos a maior força parlamentar e vencemos na maioria dos departamentos do Peru", disse.

Humala vencia em 14 regiões do país e García em 10. A vitória se inclinou para o lado do ex-presidente por ele ter vencido em Lima, principal praça eleitoral do país.

No Congresso de 120 parlamentares, o partido de Humala obteve 45 cadeiras contra 36 do Apra, enquanto que a aliança conservadora Unidade Nacional obteve 17 assentos e a Aliança pelo Futuro do ex-presidente Alberto Fujimori elegeu 13 legisladores.

Nenhuma força política possui maioria no Parlamento, razão pela qual os analistas políticos consideram que o novo presidente terá que fazer alianças no Congresso.

Enrique Bernales, analista político, recomendou a García que tenha laços de entendimento com Ollanta Humala para atender às necessidades dos departamentos mais pobres do sul do país, onde o candidato nacionalista venceu.

"Em nosso país existe uma agenda concreta que é como resolver a pobreza existente nas regiões andinas do sul do país, e que agora apóiam o candidato do UPP. Isso deve ser uma prioridade, porque se não atendermos suas exigências, não haverá paz social no país", afirmou.

A ex-candidata presidencial da Unidade Nacional, Lourdes Flores Nano, afirmou que está disposta a colaborar com idéias positivas por meio de uma oposição construtiva.

Ela informou que o dever das forças políticas que não estão no governo é atuar com um "espírito positivo e fiscalizador", vigilantes da condução econômica do país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host