UOL Notícias Notícias
 

15/06/2006 - 16h34

Termina com sucesso cirurgia de separação de irmãs siamesas em Los Angeles

Por Paula Bustamente=(FOTOS)= LOS ANGELES, 15 Jun (AFP) - As irmãs siamesas Renata e Regina, de 10 meses, foram separadas após uma cirurgia que levou 12 horas em um hospital de Los Angeles, onde as duas continuam internadas em estado grave, mas estável, na unidade de cuidados intensivos, informaram nesta quinta-feira um porta-voz do hospital e os pais da menina, Federico e Sonia Salinas.

A cirurgia de separação terminou às 18H21 locais (22h21 de Brasília) de quarta-feira, após um procedimento de pouco mais de 12 horas, informou Roberta Nichols, porta-voz do Hospital Infantil de Los Angeles (CHLA, na sigla em inglês), onde a cirurgia foi realizada.

Depois, em dois centros cirúrgicos em separado, os médicos reconstituíram as regiões do abdome e do quadril das irmãs Salinas, nascidas em agosto de 2005 nos Estados Unidos, onde seus pais, de nacionalidade mexicana, estavam com vistos de turistas. As meninas têm dois irmãos mais velhos: um menino de cinco anos e uma menina de dois.

Regina foi transferida para o centro de cuidados intensivos às 02H47 da madrugada desta quinta-feira, e Renata, uma hora depois.

Segundo Nichols, as duas se encontram em estado grave, mas estável.

"Foi muito comovente vê-las separadas esta manhã, cada uma em uma cama; foi um verdadeiro milagre", disse à AFP a mãe das gêmeas, Sonia, de 23 anos.

"Estamos muito contentes, mas infelizmente, Regina terá seqüelas por toda a vida", explicou o pai, Federico, de 36 anos.

As siamesas, do tipo "Ischiopagus tetrapus", um dos casos mais raros e difíceis de tratar desta condição, nasceram unidas de frente, cada uma com sua respectiva cabeça, pescoço, ombros, braços, coração, pulmões e pernas, embora partilhassem uma parte do intestino delgado e todo o intestino grosso.

Oitenta médicos participaram da operação. A equipe tem uma entrevista coletiva marcada para o meio-dia local (16H00 de Brasília) para dar um primeiro balanço do procedimento.

Segundo explicou antes do procedimento, o cirurgião James Stein, que conduziu a operação, se a má-formação não fosse operada, "a anatomia das gêmeas teria começado a limitar sua qualidade de vida, tirando-lhes a individualidade, a capacidade de caminhar e de crescer normalmente".

O custo da cirurgia não foi divulgado, mas o Hospital Infantil informou que se encarregará das despesas.

A previsão é de que o estado da Califórnia, que conta com um programa de assistência às crianças com más-formações, cubra parte do custo.

Renata e Regina são o sexto par de gêmeas siamesas que o Hospital Infantil de Los Angeles tenta separar desde 1966. A última operação comandada pelos doutores James Stein e Dominic Femino foi em setembro de 2003, quando separaram com sucesso gêmeas órfãs que depois foram adotadas.

Em 1981, na quarta tentativa de separar siameses, nenhum dos meninos sobreviveu à operação.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host