UOL Notícias Notícias
 

04/07/2006 - 09h45

Recomeça processo de enfermeiras que injetaram vírus da Aids em crianças

=(FOTO)= TRÍPOLI, 4 jul (AFP) - O julgamento de cinco enfermeiras búlgaras e um médico palestino acusados de terem inoculado Aids em crianças líbias foi reiniciado nesta terça-feira numa corte criminal de Trípoli, sob severas medidas de segurança em função da presença dos pais das vítimas que protestavam diante do tribunal.

Presos desde 1999, as enfermeiras e o médico foram condenados à morte em primeira instância, no dia 6 de maio de 2004 na Líbia, por terem inoculado o vírus da Aids em 426 crianças líbias quando trabalhavam no hospital local.

Duas enfermeiras e o médico, que reconheceram os fatos durante o interrogatório, afirmaram ao juiz que suas confissões foram obtidas através de tortura e que tiveram de assinar o depoimento em árabe, idioma que não dominam.

A defesa apresentou os testemunhos do professor francês Luc Montagnier, um dos descobridores do vírus da Aids, e outros especialistas, que mencionaram que as más condições de higiene no hospital eram a causa da contaminação.

Os acusados, que insistem em sua inocência, apelaram à Suprema Corte líbia em dezembro passado e por isso a justiça ordenou um novo julgamento.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host