UOL Notícias Notícias
 

08/08/2006 - 16h25

Bombardeio a Ghaziye deixa 20 mortos

Por Jihad Siqlawi TIRO, Líbano, 8 ago (AFP) - A aviação israelense bombardeou nesta terça-feira, pelo segundo dia consecutivo, Ghaziye, no sul do Líbano, deixando 20 mortos em 24 horas, enquanto confrontos violentos aconteciam entre soldados israelenses e combatentes do Hezbollah no setor ocidental dessa zona fronteiriça.

Seis pessoas morreram e 28 ficaram feridas em dois ataques aéreos israelenses a Ghaziye, a sudeste de Saida, principal cidade do sul do Líbano, informou a Polícia.

Três civis morreram e cinco ficaram feridos em um primeiro ataque, às 14H30 locais, contra dois imóveis, localizados a 500 metros de onde aconteciam os funerais de 14 pessoas mortas na véspera por bombardeios israelenses.

Uma hora e meia mais tarde, uma segunda ofensiva da aviação israelense, contra quatro imóveis, deixou três mortos e 23 feridos, dois deles socorristas, segundo um primeiro balanço da Polícia.

A aviação israelense fez hoje 40 ataques contra 20 localidades fronteiriças. Israel alertou a população libanesa, em panfletos lançados por seus aviões, de que irá bombardear "qualquer veículo que circular ao sul do rio Litani", ou seja, no extremo sul do Líbano, que engloba a região onde fica a cidade de Tiro.

"Será bombardeado qualquer veículo que circular ao sul do Litani, pois será suspeito de transportar foguetes e armas para os terroristas", indicam os panfletos dirigidos à população libanesa e assinados pelo "Estado de Israel". O Hezbollah, por outro lado, afirmou ter destruído quatro tanques israelenses na região de Debel.

Segundo a Polícia, o Exército israelense libertou hoje um dos dois habitantes que havia capturado há cinco dias em Jebbin, na fronteira. Ali Akil Hamza foi entregue à Finul em Naqura. O segundo, Hassan Naim Akil, permanece preso.

No subúrbio sul de Beirute, equipes de salvamento continuavam tentando localizar 26 pessoas enterradas sob os escombros de um prédio bombardeado ontem pela aviação israelense, informou a Defesa Civil. Segundo o último balanço divulgado pela agência oficial libanesa, 22 pessoas morreram nesse bombardeio a Chiyah, bairro que ainda não havia sido atacado, nem abandonado por seus habitantes.

Segundo o Exército israelense, não houve mudanças significativas nesta terça-feira. "Agora, estamos mobilizados desde o mar, a oeste, até Metula, no leste. Nossas forças atuam em profundidade, até 8km no interior do território libanês", afirmou uma fonte da segurança israelense.

O governo libanês teve um gesto de abertura, ao anunciar que enviará 15 mil soldados à região fronteiriça após a retirada do Exército israelense. O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, considerou a proposta "um passo interessante".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host