UOL Notícias Notícias
 

30/08/2006 - 18h27

EUA: primeira audiência de marines acusados pelo assassinato de iraquiano

=(FOTOS)= CAMP PENDLETON, EUA, 30 ago (AFP) - Dois marines compareceram nesta quarta-feira a uma audiência preliminar perante um tribunal militar instalado na base de Camp Pendleton (Califórnia, oeste dos Estados Unidos) para responder pela morte de um civil iraquiano em abril passado, constataram jornalistas da AFP.

O soldado Marshall Magincalda, de 23 anos, e o soldado de primeira classe John Jodka, de 20, foram acusados do assassinato a sangue frio de Hashim Ibrahim Awad no dia 26 de abril, em Hamdania, norte de Bagdá. Eles teriam modificado a cena do crime para fazer supor que a vítima era um insurgente que se preparava para explodir uma bomba.

As audiências desta quarta-feira, conforme o artigo 32 do código de justiça militar americano, deverão examinar as provas da promotoria e da defesa, para que depois o oficial encarregado do caso decida se os acusados têm de comparecer a uma Corte Marcial.

No caso do cabo Magincalda, a audiência não durou mais de 15 minutos e a defesa lançou mão de seu direito de não apresentar provas nesta fase, enquanto que a acusação apresentou documentos que foram examinados pelo coronel Robert Chester.

No total, oito militares - sete marines e um membro da Marinha -, foram acusados no dia 21 de junho de seqüestro, assassinato e associação ilícita no caso de Hamdania.

Todos estes militares estão atualmente detidos na prisão de Camp Pendleton, a maior base de marines do mundo, 130 km ao sudeste de Los Angeles.

O Exército americano está envolvido numa série de escândalos em que seus soldados são suspeitos de terem matado e maltratado civis iraquianos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h10

    -0,53
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h15

    0,72
    63.681,85
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host