UOL Notícias Notícias
 

30/12/2006 - 17h18

- JULHO

- 1o jul: TREM/TIBET - A China inaugura a estrada de ferro no ponto mais elevado do mundo (5.072 m), ligando o Tibete ao restante do país. Milhares de tibetanos no exílio protestam em Dharamsala (norte da Índia) contra a implantação desta linha, que acelera, segundo eles, a "marginalização dos tibetanos".

- 2 jul: MÉXICO/ELEIÇÕES - O candidato da direita católica Felipe Calderon vence as eleições presidenciais com uma vantagem de 0,56% sobre o candidato de esquerda Andres Manuel Lopez Obrador, que contesta o resultado. No dia 5 de setembro, após dois meses de crise eleitoral que gerou uma recontagem dos votos e o apelo aos tribunais, Calderon é proclamado presidente. Os partidários de Lopez Obrador se revoltam e prometem criar um governo paralelo, impedindo o presidente eleito começar a exercer suas funções no dia 1o de dezembro.

- 3 jul: ESPANHA/ACIDENTE/METRÕ - 43 mortos no descarrilamento de um metrô em Valência (leste), um dos mais violentos em cinquenta anos no mundo, provocado por excesso de velocidade.

- 6 jul: ÍNDIA/CHINA - China e Índia reabrem a Rota da seda passando pelas montanhas do Himalaia fechada há 44 anos, permitindo a retomada do comércio através desta fronteira e simbolizando a reaproximação entre os dois países.

- 9 jul: SOMÁLIA/VIOLÊNCIA - As Milícias dos Tribunais islamitas anunciam a tomada de controle de Mogadiscio, capital da Somália, após várias semanas de combates, depois de terem derrotado os dois últimos chefes rebeldes. A Somália está afundada no caos desde 1991, e o governo de transição, que chegou ao poder em 2004, é incapaz de restabelecer a ordem.

- 9 jul: RÚSSIA/ACIDENTE/AVIÃO - 124 mortos após um Airbus A310 da companhia Sibir ter saído da pista. A aeronave tentou aterrissar no aeroporto de Irkoutsk (Sibéria). O avião colidiu contra um muro e pegou fogo com cerca de 200 pessoas a bordo.

- 9 jul: FUTEBOL/MUNDIAL/ITÁLIA/FRANÇA - A Itália, ao final de uma interminável final, concluída na disputa de pênaltis (1-1 no tempo normal e na prorrogação, 5-3 nos pênaltis) conquista a Copa do Mundo de futebol ao derrotar a França. A partida é marcada, na prorrogação, por uma cabeçada do capitão francês Zinédine Zidane no italiano Marco Materazzi.

- 10 jul: POLÕNIA/GOVERNO - O presidente conservador polonês Lech Kaczynski atribui ao seu irmão gêmeo Jarislaw, a tarefa de formar um novo governo, em uma situação única no mundo.

- 11 jul: ÍNDIA/PAQUISTÃO - Pelo menos 200 pessoas são mortas e 714 ficam feridas em uma série de atentados que atingem trens e estações do subúrbio de Mumbai (oeste). A Índia coloca em suspeita o Paquistão, que por sua vez condena as ações terroristas.

- 12 jul: LÍBANO-ISRAEL/CONFLITO - Início do conflito entre forças israelenses e o Hezbollah xiita libanês, após a captura de dois soldados israelenses. Em 34 dias de guerra - bombardeios israelenses na entrada de Tsahal no sul do Líbano; disparos de foguetes do Hezbollah sobre Israel - mais de 1.200 pessoas foram mortas, um milhão foram desalojadas, e cerca de 15.000 moradias ficaram destruídas.

No dia 11 de agosto, a resolução 1701 da ONU pede o fim dos combates (o que aconteceu no dia 14), a retirada das tropas israelenses e prevê a mobilização de uma Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) reforçada.

- 17 jul: INDONÉSIA/TSUNAMI - Um terremoto submarino de 7,7 graus na escala Richter provoca um tsnunami que deixa mais de 620 mortos na ilha indonésia de Java.

- 18 jul: ARCELOR/MITTAL - A líder mundial da siderurgia, a indiana Mittal, anuncia que 92% dos acionistas da gigante européia Arcelor aceitaram sua oferta de compra de 25 bilhões de euros. No dia 18 de maio, a Mittal havia lançado esta OPA hostil sobre a Arcelor, que aceitou a fusão em 25 de junho. - 24 jul: OMC/NEGOCIAÇÕES - Os países membros da Organização Mundial do Comércio suspendem sine die seus esforços para instaurar uma ordem comercial mundial mais justa após o fracasso das negociações entre as grandes potências. Europeus e americanos rejeitam mutualmente a responsabilidade pelo fracasso.

- 31 jul: AFEGANISTÃO/OTAN - A Otan se torna responsável pelas operações militares internacionais no sul, em meio a maior onda de violência já registrada desde a queda do regime talibã no fim de 2001.

No dia 5 de outubro, a Otan amplia seu comando para todo o país, encarregando-se do controle do leste, única região ainda sob controle dos Estados Unidos.

- 31 jul: CUBA/CASTRO - O chefe de Estado cubano Fidel Castro, 79 anos, que foi submetido no dia 27 de julho, em urgência e no mais alto segredo, a uma cirurgia "complexa" após uma hemorragia intestinal, delega o poder ao irmão Raul, 75 anos, pela primeira vez desde 1959. No dia 13 de agosto, dia do seu aniversário de 80 anos, suas primeiras fotos são publicadas. No dia 28 de outubro, suas imagens voltam a ser divulgadas na televisão, desmentindo os rumores de que estaria "moribundo ou morto". No dia 2 de dezembro, Fidel não comparece às cerimônias em homenagem aos seus 80 anos e ao 50o aniversário das Forças Armadas Revolucionárias Cubanas.

- AGOSTO -

- 10 agosto: CHINA - Um tufão atinge o sudeste da China: 441 mortos. No mês de julho, o número de vítimas das intempéries aumentou para 987 mortos e 310 desaparecidos.

- 10 agosto: SEGURANÇA AÉREA/TERRORISMO: A descoberta de um complô terrorista no Reino Unido, com o objetivo de fazer explodir aviões em vôo entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, com o uso de substâncias líquidas, provoca o reforço das medidas de segurança em nível internacional.

No dia 6 de novembro, as rígidas restrições sobre as bagagens de mão entram em vigor em 28 países (UE, Noruega, Islândia e Suíça). Elas abrangem todos os vôos saídos destes países, a até as rotas domésticas.

- 11 agosto: ALEMANHA/LITERATURA/NAZISMO - O prêmio Nobel de literatura Günter Grass, grande figura intelectual alemã, ligado à esquerda, revela ter se alistado aos 17 anos na Waffen SS, no fim da Segunda Guerra Mundial, suscitando uma forte polêmica na Europa.

- 19-20 agosto: COSTA DO MARFIM/POLUIÇÃO - Dejetos tóxicos são despejados à noite em Abidjan por uma empresa marfinense através do navio cargueiro grego Probo Koala, fretado pela multinacional Trafigura, sediada em Lucerna (Suíça). Disseminados ao ar livre, eles provocam a morte de dez pessoas.

- 22 agosto: MARSHALL/MÉXICO/PESCADORES - Três pescadores náufragos mexicanos chegam às ilhas Marshall após mais de 9 meses passados à deriva no oceano Pacífico. Eles são considerados em bom estado de saúde após exames médicos, apesar de uma alimentação constituída exclusivamente de gaivotas e legumes crus.

- 31 agosto: SUDÃO/DARFUR - A ONU aprova o deslocamento de 20.000 homens para auxiliar a missão da União Africana no Darfur (oeste do Sudão), mas Cartum rejeita o envio de soldados da ONU para a região.

A guerra em Darfur eclodiu em fevereiro de 2003 entre rebeldes de etnias africanas e o Exército de Cartum, apoiado por milícias árabes. Segundo a ONU, ela deixou mais de 200.000 mortos mais de 2 milhões de pessoas deslocadas.

- SETEMBRO -

- 2 set: AFEGANISTÃO/OTAN - As forças afegãs e da Otan lançam a maior ofensiva contra os talibãs no sul: centenas de rebeldes são mortos.

- 12 set: PAPA/MUÇULMANOS - As declarações de Bento XVI em Regensburg, na Baviera, durante uma conferência teológica sobre "fé e razão", estabelecendo uma ligação implícita entre islã e violência, suscitam reações indignadas no mundo muçulmano. O Papa lamenta a polêmica gerada, mas não pede desculpa.

- 17 set: HUNGRIA/MANIFESTAÇÕES - A divulgação de um discurso a portas fechadas no qual o primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsany reconhece ter "mentido" a respeito de seu programa de austeridade para ser reeleito em abril provoca duas semanas de manifestações e os maiores distúrbios na Hungria desde o fim do comunismo em 1989.

- 19 set: TAILÂNDIA/PUTSCH - O primeiro-ministro Thaksin Shinawatra é derrubado por uma junta liderada pelo chefe do Exército Sonthi Boonyaratglin, com o apoio do rei Bhumibol Adulyadej. Os tailandeses passam a viver sob a lei marcial.

- 21 set: ESTADOS UNIDOS/ESPAÇO - A nave americana Atlantis conclui, com sua aterrissagem na Flórida, uma missão orbital de 12 dias que marca a retomada da construção da Estação Espacial Internacional (ISS), interrompida desde 2002.

- 26 set: UE/AMPLIAÇÃO - A UE anuncia a adesão da Bulgária e da Romênia, que acontecerá no dia 1o de janeiro de 2007, elevando para 27 o número de membros da União Européia. - 27 set: RÚSSIA/GEÓRGIA - A prisão na Geórgia de quatro oficiais russos por "espionagem" provoca uma grave crise bilateral. Moscou retira seu pessoal diplomático, rompe suas relações com Tbilisi, apesar da libertação dos oficiais, e em seguida expulsa centenas de georgianos considerados em situação ilegal.

- OUTUBRO -

- 1o out: LÍBANO/ISRAEL/CONFLITO - A Força das Nações Unidas no Líbano (Finul) atinge 5.000 homens, e Israel retira suas tropas do sul do país, à exceção de Ghajar. O Exército libanês se mobiliza ao longo da fronteira, de onde esteve ausente durante quase quarenta anos.

- 2 out: NOBEL - O prêmio Nobel de Medicina é concedido aos americanos Andrew Fire e Craig Mello pela descoberta sobre a forma de "reduzir ao silêncio" os genes nocivos.

O prêmio Nobel de Literatura será atribuído ao romancista turco Orhan Pamuk. O Nobel da paz é entregue ao bengalês Muhammad Yunus e ao seu banco especializado em micro-créditos, o Grameen Bank.

- 7 out: RÚSSIA/ASSASSINATO/JORNALISTA - A jornalista de oposição Anna Politkovskaia, 48 anos, é morta a tiros no edifício onde mora, em Moscou. A morte desta jornalista, conhecida por sua cobertura crítica da guerra na Chechênia e uma das poucas a cobrir este conflito esquecido, suscita a indignação da comunidade internacional. O Comitê de Proteção dos Jornalistas (CPJ) registra o assassinato de 42 jornalistas na Rússia desde 1992, em sua maior parte vítimas de mortes encomendadas, 13 ocorridas depois da chegada de Vladimir Putin ao poder em 2000.

- 9 out: ONU - O ministro sul-coreano das Relações Exteriores, Ban Ki-moon, é designado ao posto de secretário-geral da ONU para um mandato de cinco anos a partir do dia 1o de janeiro de 2007.

- 9 out: CORÉIA DO NORTE/NUCLEAR - A Coréia do Norte realiza o primeiro teste nuclear de sua história. No dia 14, a ONU impõe sanções econômicas e comerciais, exigindo qua o país retorne sem condições às negociações a seis, abandone seu programa nuclear e aceite as inspeções internacionais.

No dia 31 de outubro, Pyongyang se diz preparado a voltar à mesa de negociações, mas nenhuma data é fixada.

- 16 out: SRI LANKA/REBELDES TÂMEIS - Pelo menos 103 militares são mortos e 150 ficam feridos em um atentado suicida com caminhão-bomba atribuído aos rebeldes tâmeis que tinha como alvo um comboio da Marinha cingalesa no nordeste da ilha.

- 17 out: EUA/POPULAÇÃO - A população dos Estados Unidos chega a 300 milhões de habitantes.

- 27 out: CHILE/PINOCHET - O ex-ditador chileno Augusto Pinochet é acusado de crimes cometidos na Villa Grimaldi, prisão secreta do regime militare. Condenado à prisão domiciliar, ele também é envolvido em um novo escândalo relativo à descoberta de lingotes de ouro em seu nome em um banco de Hong Kong.

- 29 out: BRASIL/LULA - O presidente de esquerda, Luiz Inacio Lula da Silva, é reeleito em segundo turno com 60,8 % dos votos, graças ao forte apoio dos brasileiros mais pobres.

- NOVEMBRO - - 1o nov: COSTA DO MARFIM/DISTÚRBIOS - A ONU institui uma nova fase de transição política, face à impossibilidade de organizar eleições em um país dividido após uma tentativa de golpe de Estado rebelde em setembro de 2002. Ela reconduziu ao poder durante um ano o presidente Laurent Gbagbo e seu primeiro-ministro Charles Konan Banny, concedendo poderes amplos a este segundo para que promova eleições no país, seguindo uma recomendação do Conselho de Paz e Segurança (CSP) da UA. - 4-5 nov: CHINA/ÁFRICA - A China, que realiza uma grande ofensiva econômica na África, organiza uma cúpula inédita em Pequim. Mas de 40 chefes de Estado e de governo comparecem a este Fórum sobre a Cooperação China-África (FCCA). Durante o evento 16 acordos comerciais são assinados no valor de 1,9 bilhão de dólares.

- 5 nov: IRAQUE/SADDAM HUSSEIN - O ex-presidente Saddam Hussein é "condenado à morte na forca" pelo Alto Tribunal Penal iraquiano, por sua responsabilidade na execução de 148 moradores xiitas da vila de Doujail nos anos 80, em represália a um atentado contra o comboio em que estava. Saddam também é acusado de genocídio na operação Anfal, uma onda de repressão sangrenta anti-curda (1987/1988). Um processo foi aberto no dia 21 de agosto.

- 13 nov: CHADE/REBELIÃO - O estado de emergência é instaurado na maior parte do território após a violência intercomunitária na disputa pelo poder, seriamente ameaçado pelas ofensivas rebeldes supostamente apoiadas pelo Sudão. No dia 25 de novembro, os rebeldes se apoderam por algumas horas da principal cidade do leste chadiano, Abéché. Uma outra coalizão rebelde toma algumas cidades mais ao norte. Reforços franceses são enviados no final de novembro.

- 17 nov: RÚSSIA/ESPIONAGEM - O ex-espião russo Alexandre Litvinenko morre em Londres, envenenado com polônio 210, substância altamente radioativa após três semanas da uma lenta agonia. Ele acusa em uma carta póstuma, o presidente russo Vladimir Putin de ser o responsável por sua morte, acusação rejeitada por Moscou. A investigação da Scotland Yard se alastra pela Europa após a detecção de focos de radiação em aviões da British Airways.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host