UOL Notícias Notícias
 

08/02/2007 - 11h11

Ministro israelense pede interrupção de obras perto da Esplanada das Mesquitas

JERUSALÉM, 8 Fev (AFP) - O ministro de Defesa de Israel, Amir Peretz, pediu a suspensão imediata das controvertidas obras iniciadas nas imediações da Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, em documento enviado ao primeiro-ministro Ehud Olmert.

Na carta, Peretz estima que os trabalhos devem ser interrompidos diante do risco de uma escalada da violência e de uma deterioração da segurança, disse nesta quinta-feira à AFP um membro do governo, que pediu anonimato.

As obras que estão sendo feitas perto da Esplanada, terceiro lugar santo do Islã, enfureceram os palestinos e provocaram protestos de vários países árabes. No entanto, os operários continuavam trabalhando nesta quinta-feira.

"O dossiê está sendo examinado pelo gabinete do primeiro-ministro", disse a fonte.

Para evitar qualquer incidente, só os muçulmanos de mais de 45 anos que tenham carteira de identidade expedido por Israel estão autorizados a visitar Al Aqsa e a Cúpula da Roca, na Esplanada das Mesquitas, na Cidade Velha de Jerusalém, ocupada pelos israelenses.

O jornal israelense Haaretz informou, por sua vez, que Peretz reforçou sua mensagem a Olmert com uma recomendação do general da reserva Amos Gilad, encarregado de Assuntos Políticos e Militares do Ministério da Defesa.

Segundo a fonte ouvida pela AFP, as obras "provocam importantes danos e são suscetíveis de causar a agitação do mundo árabe, num momento em que Israel tenta adotar medidas para acalmar a situação com os palestinos".

O general Amos Gilad recorda que os dirigentes palestinos se encontram reunidos atualmente em Meca para formar um governo de unidade nacional e que está prevista a realização de uma cúpula nas próximas semanas entre Olmert e o presidente palestino, Mahmud Abbas, sob a égide da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice.

Comenta também que o plano para realizar as obras, cujo objetivo é instalar uma rampa, não foi exposto à Jordânia, país encarregado da manutenção das mesquitas de Al Aqsa e da Cúpula da Roca, em coordenação com a Autoridade Palestina, segundo o Haaretz.

Um importante líder muçulmano palestino, o xeque Tayssir Al Tamimi, anunciou na quarta-feira "um dia de cólera" para esta sexta-feira.

Israel iniciou seus trabalhos com escavações arqueológicas antes de preparar o cimento de uma rampa que levará a uma das portas da Esplanada.

O Escritório de Bens Religiosos Muçulmanos em Jerusalém argumenta que os trabalhos ameaçam as bases da Esplanada, enquanto que Israel alega que se trata unicamente de instalar uma rampa para substituir a atual estrutura de madeira que ficou danificada durante uma tormenta de neve em 2004.

A Esplanada foi construída vários séculos depois que os romanos destruíram quase por completo, no ano 70 D.C., o templo judeu que existia no mesmo local, do qual se ainda existe o muro oeste, chamado de Muro das Lamentações, lugar de culto judeu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h19

    0,10
    3,282
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h27

    0,88
    63.813,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host