UOL Notícias Notícias
 

09/02/2007 - 20h56

Autismo atinge mais crianças nos EUA do que o estimado

WASHINGTON, 9 fev (AFP) - O autismo é mais comum nos Estados Unidos do que se pensava e atinge uma criança a cada 150, revela um estudo realizado pelo governo americano.

O trabalho, encomendado pelo Centro de Controle e Prevenção de Enfermidades (CDC) e divulgado nesta quinta-feira, se concentrou em crianças de oito anos de idade de comunidades de 20 estados do país.

As crianças de oito anos foram selecionadas, porque pesquisas prévias mostraram que a maioria das desordens do autismo, caracterizado por uma interação social problemática e problemas de comunicação verbal e não-verbal, são bem identificadas a partir desta idade.

Os dados mostraram que uma em cada 150 crianças sofria de autismo, disse o Centro.

A informação coletada em 2000 mostrou uma taxa de 6,7 crianças a cada mil, enquanto que a amostra de 2002 apontou 6,6.

Durante décadas, a incidência do autismo foi estimada em quatro ou cinco crianças a cada 10.000.

Já estatísticas mais recentes estimaram em uma a cada 166 a 175 crianças.

"Nossas estimativas estão ficando melhores e mais consistentes, embora não possamos dizer ainda se é um verdadeiro aumento de autismo ou se as mudanças são resultado de melhores estudos nossos", comentou, em uma nota, a doutora Julie Gerberding, diretora do CDC.

O CDC estima que cerca de 560.000 pessoas de 21 anos ou mais têm diferentes graus de autismo nos Estados Unidos.

"Não conhecemos as causas do autismo, mas sabemos que se pudermos identificar o autismo e outros problemas de desenvolvimento em crianças pequenas, elas podem começar a receber tratamentos apropriados mais cedo", explicou a doutora Marshalyn Yeargin-Allsopp, chefe do programa de autismo do CDC.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host