UOL Notícias Notícias
 

13/02/2007 - 18h21

Clima, energia e Marte: na pauta da Associação Americana para a Promoção da

CiênciaPor Jean-Louis Santini WASHINGTON, 13 fev (AFP) - A mudança climática, as energias alternativas, a vida em Marte e a exploração da Lua são alguns dos temas que serão discutidos na conferência anual da Associação Americana para a Promoção da Ciência (AAAS, na sigla em inglês), que começa nesta quinta-feira em San Francisco (Califórnia, oeste).

Cerca de 10.000 participantes de 60 países são esperados para este grande encontro da ciência, que engloba todas as disciplinas e cujo objetivo é sensibilizar e informar o público, e discutir as políticas e questões científicas em destaque atualmente.

Para o presidente da AAAS, John Holdren, professor de ciências ambientais da Universidade de Harvard (Massachusetts, leste), o tema de fundo da conferência será "a ciência e a tecnologia para o bem do ser humano em harmonia com o meio ambiente".

O aquecimento climático e suas conseqüências, assim como os meios para combatê-lo, ocupará um lugar de destaque nos quatro dias do encontro (de 15 a 19 de fevereiro).

Serão celebradas cerca de 200 sessões científicas, durante as quais serão apresentados vários estudos, muitos deles destinados ao desaparecimento progressivo das geleiras de montanhas no mundo.

Também serão publicados relatórios sobre o desenvolvimento da bioenergia e de origem solar, e sobre tecnologias de conservação da água e de irrigação para combater a desertificação.

No campo da medicina, os simpósios serão destinados ao papel do ambiente na obesidade, os efeitos das drogas no cérebro e uma nova abordagem para explicar o aparecimento do câncer.

Pesquisas sobre próteses inteligentes conectadas ao sistema nervoso, que permitem a restauração da visão ou o funcionamento de um membro amputado, são alguns dos pontos que terão maior atenção do público, em vista do grande número de militares americanos vítimas de amputações após a guerra no Iraque.

A vida em Marte, a exploração da Lua e de recursos significativos como a trajetória de asteróides que podem ameaçar a Terra, e formas para modificá-la, também contarão com várias sessões.

Várias palestras estarão destinadas ao crescente interesse do público, principalmente dos jovens dos Estados Unidos e da Europa, nas denominadas pseudociências, como a astrologia, em detrimento da cultura científica.

Uma sessão será dedicada especificamente ao surgimento na Europa de um movimento contra a teoria da evolução da espécies de Darwin, um fenômeno recorrente nos Estados Unidos há dois anos, mas novo no Velho Continente.

Entre os participantes estão Steven Chu, prêmio Nobel e pesquisador no Laboratório Nacional Lawrence de Berkeley (Califórnia, oeste), Larry Page, co-fundador do site de buscas Google, e Susan Solomon, da Associação Nacional para os Oceanos e a Atmosfera (NOAA, na sigla em inglês) e presidente do grupo que trabalhou no último relatório do Grupo Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    0,34
    3,290
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h41

    -0,63
    62.860,45
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host