UOL Notícias Notícias
 

15/02/2007 - 17h28

Cultura da pimenta tem mais de 6.000 anos

SAN FRANCISCO, EUA, 15 fev (AFP) - Um estudo publicado nesta quinta-feira na revista Science revelou que a cultura da pimenta, planta originária da América do Sul e Central, tem mais de 6.000 anos, surgindo antes mesmo da invenção da cerâmica.

Uma equipe internacional de pesquisadores rastreou a longa história do cultivo da pimenta, analisando micro-fósseis de amido encontrados em pedras utilizados para moer os grãos da planta. Tratam-se das evidências mais antigas já descobertas.

"Até recentemente, pensava-se que os ancestrais das grandes civilizações das terras altas, como os incas e os astecas, tinham originado a maior parte dos avanços agrícolas e culturais da região", disse Scott Raymond, um dos autores da pesquisa e arqueólogo na universidade canadense de Calgary.

"No momento, temos provas de que a cultura da pimenta se deve aos povos originários das zonas tropicais e das terras baixas da América Latina", acrescentou.

Os pesquisadores concordam que a pimenta (Capsicum) surgiu na Bolívia, mas a cultura se propagou para outras regiões.

Traços de amido de grãos de pimenta foram encontrados em sete sítios arqueológicos. No mais remoto, situado no Equador e com uma antiguidade estimada em 6.100 anos, foram encontrados vestígios do vilarejo mais antigo descoberto nas Américas. No entanto, acredita-se que a cultura da pimenta remeta a tempos ainda mais antigos.

Cristóvão Colombo leva a pimenta do Novo Mundo e sua utilização se espalha por todo o planeta, servindo como tempero para várias tradições culinárias, sobretudo na Ásia e na América Latina.

A pimenta é rica em cálcio, vitaminas A e C. As diversas variedades podem ser distinguidas pela intensidade de seu sabor, pouco ou muito forte.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host