UOL Notícias Notícias
 

15/02/2007 - 16h21

Missão Themis da Nasa tentará revelar mistério das auroras boreais

Por Céline Serrat WASHINGTON, 15 fev (AFP) - A agência espacial americana (Nasa) lançará às 21h26 de sexta-feira (horário de Brasília) de Cabo Cañaveral (Flórida, sudeste) um foguete com cinco satélites a bordo para tentar desvendar o mistério das auroras boreais.

Esta missão, batizada de Themis (Time history of events and macroscale interactions during substorms), é coordenada por uma equipe da Universidade de Berkeley (Califórnia) e terá dois anos de duração.

A cada quatro dias, os satélites se alinharão sobre a América do Norte e aguardarão a eventual formação de auroras boreais. Na Terra, 20 estações no Alasca e no Canadá fotografarão estes fenômenos luminosos multicoloridos.

"Trata-se de um projeto ambicioso para explicar o mecanismo destes resplendores que atestam a existência de uma magnetosfera terrestre que nos protege dos efeitos mortais dos ventos solares", disse Frank Snow, responsável pela missão.

Os cientistas esperam que os cinco satélites, que formarão uma constelação, permitam identificar o local preciso onde ocorrem as auroras boreais.

Até o momento, estabeleceu-se que as auroras boreais são causadas por ventos solares que chegam ao campo magnético da Terra, o deformam e criam uma "cauda", seguindo a direção em que o vento sopra.

Apesar de o mecanismo geral ser conhecido, os cientistas não puderam explicar onde, na magnetosfera, a energia do vento solar se transforma na explosão de auroras boreais espetaculares.

Um satélite lançado anteriormente não havia conseguido detectar a origem precisa do fenômeno.

Os cinco satélites da Themis transportarão uma série idêntica de captadores elétricos, magnéticos e de partículas. A cada quatro dias, se alinharão ao longo da cauda do campo magnético terrestre para acompanhar as perturbações observadas na magnetosfera. A originalidade desta idéia é fazer observações simultâneas de cinco pontos diferentes.

"Pensamos que este projeto deveria abrir uma nova era de compreensão da natureza das interações entre o sol e a Terra", estimou Vassilis Angelopoulos, um dos principais responsáveis e membro do Laboratório de Ciências Espaciais de Berkeley.

"Muitas das futuras missões da Nasa serão realizadas com constelações de satélites que produzirão simultaneamente imagens tridimensionais", previu Frank Snow.

A missão "Themis reforçará nosso conhecimento sobre os impactos dos ventos solares na Terra e fornecerá dados vitais para as missões tripuladas para a Lua e mais longe", acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h29

    0,45
    3,160
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h38

    -0,26
    68.413,26
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host