UOL Notícias Notícias
 

22/02/2007 - 14h37

Monte Everest é afetado pelo aquecimento climático

=(FOTOS)= PARIS, 22 fev (AFP) - As neves eternas do monte Everest, o topo do mundo situado no coração do Himalaia, também são afetadas pelo aquecimento climático, segundo um estudo feito pelo Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), anunciou nesta quinta-feira o organismo francês.

Os cientistas franceses analisaram amostras de gelo perfuradas pelos cientistas chineses no topo do Everest e detectaram uma diminuição da quantidade de gás retido em suas camadas no século XX, em comparação com uma amotsra de gelo mais antiga, o que demonstra que a neve na superfície da geleira que derrete com maior rapidez durante o verão, explicou o CNRS.

Embora não tenha sido possível quantificar a evolução das temperaturas, "foram encontrados indícios de que o aquecimento climático afetou também as neves eternas do teto do mundo (8.848 metros)", destacou a entidade científica.

A evolução climática no Himalaia e a colina tibetana não foi cabalmente analisada, com poucas estações meteorológicas disponíveis e arquivos climáticos difíceis de analisar.

No entanto, os cientistas chineses conseguiram perfurar em 2001 e 2002 três pedaços do gelo na geleira East Rongbuk, a 6.518 metros de altitude, na região norte do Everest.

Ao analisar duas das amostras, os cientistas do Laboratório de Glaciologia e Geofísica do Ambiente (LGEE) e do Laboratório de Ciências do Clima e do Ambiente (LSCE) puderam medir o conteúdo de gás de gelo, obtendo também um "marcador climático" que remonta a 2.000 anos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host