UOL Notícias Notícias
 

25/02/2007 - 17h45

Minorias iraquianas podem desaparecer devido à violência, segundo relatório

LONDRES, 25 fev (AFP) - As minorias étnicas e religiosas do Iraque, que representam 10% da população, são vítimas de uma violência sem precedentes que poderá levá-las a desaparecer, segundo um relatório do Minority Rights Group (MRG) publicado em Londres.

"Estes grupos enfrentam níveis de violência sem precedentes e, em alguns casos, correm o risco de desaparecer por completo de sua pátria ancestral", alertou esta organização de defesa dos direitos humanos.

O relatório se refere a cristãos armênios, caldeu-assírios, judeus, palestinos, turcomenos, shabaks e jazidis, entre outras minorias, cuja presença no país árabe remonta a mais de 2.000 anos.

Atualmente são alvo das comunidades xiitas, sunitas e curdas que travam intensas batalhas pelo domínio das terras e cometem ataques e seqüestros em todo o país.

O informe, intitulado "Assimilação, êxodo, erradicação: as comunidades minoritárias do Iraque desde 2003", constata que estas minorias representam um terço de 1,8 milhão de refugiados iraquianos, que nesse momento buscam uma terra que os receba.

"Apesar do fato de que muitos cristãos no Iraque fogem ao se verem acusados de associação com as tropas britânicas e americanas, muitos poucos obtiveram refúgio nos Estados Unidos ou Grã-Bretanha", deplora Mark Lattimer, diretor de MRG, em um comunicado.

Ante esta situação, a organização insistiu junto à comunidade internacional e, em particular, a estes dois países que dirigem a invasão no Iraque a assumir as conseqüências e compartilhar "a cargo dos refugiados".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h07

    1,24
    63.437,60
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host