UOL Notícias Notícias
 

05/03/2007 - 10h07

Comentário sobre os gays rende críticas à comentarista conservadora

Paul Handley WASHINGTON, 4 mar (AFP) - Um mordaz comentário sobre os homossexuais feito por uma famosa comentarista americana em uma influente conferência política conservadora causou fortes protestos, enquanto os republicanos tentam manter a maior distância possível do problema criado.

Ann Coulter, uma desbocada analista conservadora que tem muito espaço na imprensa escrita, televisão e rádio, sugeriu na sexta-feira que o pré-candidato democrata à presidência John Edwards era um "fagot" - termo depreciativo para se referir a um homossexual - na reunião anual da influente Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC, na sigla em inglês).

"Vou fazer poucos comentários sobre o outro candidato presidencial democrata, John Edwards. Mas acontece que a gente tem que entrar na reabilitação se usar a palavra 'fagot'", afirmou Coulter em meio aos gritos e aplausos dos presentes.

Só que os democratas passaram a criticar Coulter por usar um discurso odioso e os republicanos, incluindo os principais pré-candidatos que compareceram à conferência, rejeitaram o linguajar escolhido.

"Seria melhor, na minha opinião, não ter na CPAC tudo o que apresente o conservadorismo como uma ideologia hostil, odiosa", disse Amy Ridenour, cujo National Center for Public Policy Research foi um dos patrocinadores que financiaram a reunião.

"Nós, os conservadores, já temos problemas suficientes enfrentando as coisas falsas que dizem sobre nós sem ter ainda que pagar por um palanque no qual atiramos contra o nosso próprio pé", escreveu em seu blog no domingo.

Em seu site de campanha, Edwards afirma que "a busca pleitos da republicana Ann Coulter levou a política de discursos odiosos a um novo ponto baixo".

"Nos Estados Unidos nós nos esforçamos pela igualdade e aceitamos a diversidade. O tipo de linguagem odiosa que ela usou não tem espaço no debate político ou em nossa sociedade em geral".

Organizada pela American Conservative Union, a CPAC reuniu os principais políticos e intelectuais conservadores do país para promover sua causa. O encontro deste ano atraiu vários pré-candidatos à indicação republicana para a próxima disputa presidencial, incluindo o ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney e o possível aspirante Newt Gingrich.

O mais proeminente orador no evento foi o vice-presidente Dick Cheney, que tem uma filha lésbica.

O jornal New York Times informa que o pré-candidato John McCain, que não compareceu à reunião da CPAC, considerou o comentário de Coulter "totalmente inapropriado".

O site do jornal também cita um porta-voz de Mitt Romney - que foi apoiado por Coulter na reunião - dizendo: "Foi um comentário ofensivo. O governador Romney acredita que todas as pessoas devem ser tratadas com dignidade e respeito".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host