UOL Notícias Notícias
 

30/03/2007 - 13h51

Fenômeno La Niña está prestes a entrar em ação, alertam autoridades

meteorológicas GENEBRA, 30 mar (AFP) - A Organização Meteorológica Mundial (OMM) disse nesta sexta-feira que o fenômeno climático La Niña, na bacia do Pacífico, está se formando este ano mas pode não entrar em ação dentro de dois a três meses.

O La Niña, efetivamente uma queda nas temperaturas da superfície do mar na costa oeste da América do Sul, pode causar uma destruição com padrões climáticos em muitas partes do globo.

"Há um indício claro de La Niña, mas o timing não está claro", disse a jornalistas a cientista da OMM, Rupa Kumar Kolli.

A organização, baseada em Genebra, informou em um relatório que começou a detectar os primeiros sinais de uma mudança em fevereiro, com a queda abaixo do normal das temperaturas do mar no leste do Pacífico, embora os ventos superficiais continuem os mesmos.

Segundo a OMM, as chances de o fenômeno se desenvolver dentro de dois a três meses são "fracas".

A La Niña anterior foi associada com um clima mais seco no sul dos Estados Unidos e no oeste da América Latina e a padrões de chuva acima da média na Austrália e no Sudeste asiático.

Mas também pode afetar o clima muito mais longe, com um aumento das chuvas de monção no subcontinente indiano e frio na região tropical que abrange a África ocidental e o Sudeste da África, bem como Japão e península coreana.

A mudança se seguiu a uma dissipação do conhecido El Niño, que ocorre quando há um aquecimento das temperaturas da superfície do oceano Pacífico, que este ano foi acusado da extensa seca que se abateu na Austrália, a enchentes no Cifre da África e na Bolívia e monções de inverno mais severas no sul da Ásia em grande parte do ano passado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host