UOL Notícias Notícias
 

12/04/2007 - 15h56

Estudo britânico vincula variação de gene à obesidade

WASHINGTON, 12 abr (AFP) - A variação de um gene específico aumenta os riscos de obesidade, afirma um estudo realizado na Inglaterra e na Finlândia com mais de 40.000 pessoas, cujos resultados serão publicados nesta quinta-feira nos Estados Unidos.

As pessoas que possuem duas cópias do gene chamado FTO correm 70% mais riscos de sofrer de obesidade que aqueles que não têm nenhuma, descobriram os autores do estudo, financiado pelo Wellcome Trust, a maior organização privada de pesquisa médica britânica.

Os portadores de uma única cópia do gene têm 30% de chances de se tornarem obesos com relação aos que não têm nenhuma cópia do FTO, afirmaram os pesquisadores da escola de medicina Peninsula e da Universidade de Oxford, ambas na Inglaterra.

O estudo especificou que, entre a população branca britânica, uma pessoa em cada seis é portadora de duas cópias do gene FTO.

Os autores da pesquisa, que faz parte de um projeto mais amplo na Inglaterra, identificaram inicialmente essa ligação genética com o excesso de peso ao analisar o genoma de 2.000 pessoas com diabetes do tipo 2, comparando-o com um grupo de 3.000 indivíduos.

Em seguida, analisaram amostras genéticas presentes em 37.000 pessoas que não sofrem de diabetes na Inglaterra e na Finlândia.

"Os resultados de nosso estudo podem ajudar àqueles acima do peso, porque prova que esse fator não é necessariamente por excesso de comida ou falta de exercício", declarou o professor Andrew Hattersley, da escola de medicina Peninsula, um dos autores dos trabalhos que serão publicados na edição desta sexta-feira da revista americana Science.

"Existe claramente um componente genético na obesidade", ressaltou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h00

    -0,87
    3,153
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h04

    0,33
    70.244,91
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host