UOL Notícias Notícias
 

25/04/2007 - 10h15

O astrofísico Stephen Hawking experimentará a gravidade zero

Por Patrick Moser=(FOTOS DE ARQUIVO)= MIAMI, 25 abr (AFP) - O astrofísico britânico Stephen Hawking, que passou boa parte de sua vida refletindo, em sua cadeira de rodas, sobre a gravidade, experimentará pela primeira vez sua ausência nesta quinta-feira, a bordo de um avião nos céus da Flórida.

"A idéia é dar ao especialista mundial em gravidade a oportunidade de experimentar a gravidade zero", explicou Peter Diamandis, diretor da Corporação Gravidade Zero (Zero-G), operadora do avião conhecido popularmente como "vomit comet" (cometa do vômito) devido aos desagradáveis efeitos que as pessoas podem sentir a bordo dele.

Hawking, autor do best seller "Uma breve história do tempo", será acompanhado por uma equipe médica a bordo do aparelho de paredes acolchoadas que, voando em parábolas como uma montanha russa, produz períodos de falta de gravidade.

O professor da Universidade de Cambridge, que vive quase completamente paralisado, espera que essa breve separação de sua cadeira de rodas permita com que ele possa viajar ao espaço em 2009.

A aventura de Hawking, de 65 anos, será uma cortesia da empresa, que cobra 3.500 dólares por viagem a bordo do avião "G-Force-One", que decolará e aterrissará no Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, leste da Flórida.

Pilotos especialmente treinados subirão com a aeronave num ângulo de 45 graus até 10.000 metros de altura antes de descer abruptamente a 2.500 metros, dando aos passageiros 30 segundos de gravidade zero.

O avião realiza esta manobra inúmeras vezes para que os passageiros experimentem vários níveis de falta de gravidade: um equivalente à gravidade de Marte, que é uma terça parte da registrada na Terra; outra equivalente à da Lua, que é uma sexta parte da da Terra; e a gravidade zero, experimentada no espaço.

"Estudei a gravidade e os buracos negros durante toda minha vida, e não vejo a hora de viver minha primeira experiência em um ambiente sem gravidade", afirmou Hawking no mês passado, quando anunciou que faria o vôo.

A empresa afirma que a experiência dentro do avião é similar a um salto em queda livre antes de abrir o pára-quedas.

Estes vôos, que duram geralmente 90 minutos, são similares aos que a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (Nasa) realiza há 40 anos para treinar os astronautas.

A empresa afirma que, desde que começou a operar em 2004, realizou mais de cem vôos e transportou 2.500 passageiros, entre eles celebridades e crianças de até 12 anos de idade.

Em seu aniversário em janeiro passado, Hawking disse que queria ir ao espaço em 2009 a bordo da nave "Virgin Galactic", desenvolvida pelo empresário britânico Richard Branson para vôos sub-orbitais, nos quais uma nave vai ao espaço, mas não em uma órbita estável.

O famoso astrofísico disse que quer promover o interesse do público pelos vôos espaciais, os quais acredita ser importantes para o futuro da humanidade.

Hawking, titular da Cátedra Lucasiana de Matemáticas da Universidade de Cambridge - vaga já ocupada por Isaac Newton - padece de uma doença degenerativa, a esclerose lateral amiotrófica, diagnosticada quando ele tinha 22 anos.

A enfermidade o mantém confinado a uma cadeira de rodas e dependente de um computador e um sintetizador de voz para poder se comunicar.

Seu trabalho se concentra na cosmologia teórica, a gravidade quântica, a natureza do tempo e do espaço, a teoria do "Big Bang" e os buracos negros.

Em 1988 publicou sua obra mais famosa, "Uma breve história do tempo", sobre a origem do universo e a criação do tempo-espaço, em que abordava temas mais amplos, como a metafísica.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    0,27
    3,274
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h25

    -0,63
    63.678,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host