UOL Notícias Notícias
 

08/05/2007 - 13h02

Arqueólogos israelenses descobrem tumba de Herodes

Por Delphine Matthieussent=(FOTOS)= JERUSALÉM, 8 mai (AFP) - Após várias décadas de escavações, um arqueólogo israelense anunciou nesta terça-feira a descoberta da tumba de Herodes na área de um dos palácios do famoso rei da Judéia (século I antes de Cristo) ao sul de Jerusalém, na Cisjordânia.

"Há três semanas, encontramos elementos do sarcófago (de Herodes) e entendemos que finalmente tínhamos encontrado o local de sua tumba", disse em entrevista coletiva o professor Ehud Netzer, do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Netzer começou as escavações arqueológicas em 1972, no Monte Herodion, onde fica o palácio de Herodes, para encontrar a tumba do rei da Judéia, que ocupava parte da atual Cisjordânia, nomeado pelos romanos e que ficou no trono do ano 37 até o ano 4 antes de Cristo.

O nome de Herodes foi lembrado durante todos estes séculos por suas obras monumentais, como a ampliação do segundo templo judaico de Jerusalém e a construção da cidade portuária de Cesaréa e dos palácios de Massada, Jericó e Herodion, situado perto de Belém, onde pediu para ser sepultado.

"As características dos vestígios do sarcófago (em pedra ocre de Jerusalém, adornada com rosetas) nos permitiram concluir que se trata do sarcófago de Herodes", acrescentou Ehud Netzer.

"É uma descoberta importante, primeiro porque Herodes é muito conhecido", explicou.

"Além disso porque Herodes, que é citado várias vezes no Novo Testamento, é um personagem familiar para os cristãos e por último porque nos deixaram uma construção formidável, Herodion, um palácio enorme e único à beira do deserto, o único local que leva seu nome e onde ele mesmo escolheu para ser enterrado", acrescentou.

As escavações do palácio de Herodion foram iniciadas por monges franciscanos no fim dos anos 50 e a partir de 1972 tomou seu lugar uma equipe de arqueólogos israelenses sob o comando de Netzer.

As descobertas arqueológicas em Israel e nos territórios palestinos são usados com freqüência por palestinos e israelenses para reiterar a legitimidade de sua presença na região.

A descoberta desta tumba "é uma prova do vínculo que existe entre Gush Etzion e o povo judeu e Jerusalém", disse à rádio militar Shaul Goldstein, encarregado do conselho municipal de Gush Etzion, um grupo de colônias situadas perto de Belém.

Goldstein pediu ao governo israelense que transforme Herodion em um "monumento nacional e religioso".

A ministra palestina do turismo Khulud Hdeib Duaibess, encarregada dos sítios arqueológicos palestinos, disse à AFP que uma equipe de arqueólogos palestinos inspecionará o local e não comentará esta descoberta até ter sido informado por eles.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host