UOL Notícias Notícias
 

13/05/2007 - 19h23

Papa nega imposição do catolicismo aos povos das Américas

APARECIDA, 13 maio 2007 (AFP) - O Papa Bento XVI negou neste domingo que a religião católica tenha sido imposta pelos conquistadores aos povos nativos das Américas e afirmou que "Cristo foi o Salvador que desejavam silenciosamente".

"O anúncio de Jesus e de seu Evangelho não foi, em nenhum momento, uma alienação das culturas pré-colombianas, nem foi uma imposição de uma cultura estranha", disse Bento XVI em seu discurso aos bispos de América Latina e Caribe reunidos em Aparecida.

"As autênticas culturas não estão fechadas em si mesmas nem petrificadas em um determinado ponto da história, e sim estão abertas, buscam o encontro com outras culturas".

Mais adiante, o Papa citou "a utopia de reviver as religiões pré-colombianas, separando-as de Cristo e da Igreja universal, o que não seria um progresso, mas um retrocesso".

"O que significou a aceitação da fé cristã para os povos da América Latina e do Caribe? Para eles, significou conhecer e receber Cristo, o Deus desconhecido que seus antepassados, sem saber, buscavam em suas ricas tradições religiosas".

"Cristo foi o Salvador que desejavam silenciosamente", destacou Bento XVI.

A evangelização "significou também a recepção, com as águas do batismo, da vida divina que os fez filhos de Deus por adoção".

Para o Papa, o retorno das religiões pré-colombianas seria um retrocesso. "A sabedoria dos povos nativos lhes levou, felizmente, a formar uma síntese entre suas culturas e a fé cristã que os missionários lhes ofereciam".

"Aí, nasceu a rica e profunda religiosidade popular, na qual aparece a alma dos povos latino-americanos", concluiu Bento XVI.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h09

    0,13
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h13

    1,16
    63.991,40
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host