UOL Notícias Notícias
 

30/05/2007 - 16h57

Europa lança um plano para promover a doação de órgãos

BRUXELAS, 30 mai (AFP) - A Comissão Européia apresentou nesta quarta-feira, em Bruxelas, um plano para promover a doação de órgãos na União Européia, onde dez pessoas morrem diariamente à espera de um transplante que nunca chega.

"A cada ano milhares de vidas são salvas na Europa graças ao transplante de órgãos. Mas muitas mais poderiam ser salvas se conseguíssemos reduzir a falta de órgãos em muitos países europeus", disse o comissário de Saúde, Markos Kyprianou.

Além disso, o número de pessoas que doam órgãos difere de forma significativa de um país para outro na UE, uma situação que "não pode ser explicada facilmente", disse Kyprianou. Na Espanha, são 34,6 doadores por milhão de habitantes, contra apenas 0,5 por milhão na Romênia, 6 na Grécia e 13,8 na Grã-Bretanha.

Segundo a Comissão Européia, dez pessoas morrem diariamente na Europa por este motivo, enquanto um total de 40.000 estão inscritas em listas de espera. A taxa de mortalidade de pacientes que precisam de um coração, um fígado ou pulmão se situa entre 15% e 30%.

Com este panorama e numa área que continua sendo, em grande parte, competência dos Estados-membros, Kyprianou quer animar os 27 a tomar medidas para aumentar as doações de órgãos.

Em primeiro lugar, o comissário propõe a criação de um cartão de doador europeu, através do qual os cidadãos expressem sua vontade, o que permitiria "aumentar a sensibilidade da opinião pública".

Segundo uma consulta do instituto Eurobarômetro, publicada nesta quarta-feira, oito em cada dez europeus são favoráveis à criação deste cartão, embora apenas 12% possuam uma das existentes em seu país.

"Quando vemos que oito em cada dez países europeus são favoráveis ao cartão de doadores de órgãos, mas só um em cada dez o tem, está claro que há muito a fazer para melhorar a disponibilidade dos órgãos diante das necessidades de transplante", admitiu Kyprianou.

O estudo revela que a maioria dos europeus (56%) estaria disposta a doar seus órgãos, mas apenas 41% tocou no assunto com seus familiares.

"As doações de órgãos salvam vidas. Se houvesse mais gente falando com sua família antecipadamente, seria mais fácil tomar a decisão de doar um órgão de um parente falecido", acrescentou o comissário.

A Comissão também quer estimular as doações de órgãos de doadores vivos e estabelecer uma cooperação entre os 27 para definir as regras práticas deste tipo de caso.

Por outro lado, Bruxelas tem previsto propor em 2008 uma diretriz (lei européia) para criar normas comuns de qualidade e segurança das doações de órgãos em todas as etapas de um transplante, bem como um sistema de controle e inspeção.

A Comissão recomenda, ainda, identificar os sistemas de organização mais eficazes entre os membros da UE, com o objetivo de partilhar sua experiência com os sócios mais atrasados na área.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host