UOL Notícias Notícias
 

06/06/2007 - 18h13

Chávez diz que Venezuela sairá do FMI e do BM 'na hora certa'

CARACAS, 6 Jun 2007 (AFP) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, destacou nesta quarta-feira que a Venezuela vai se retirar do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial (BM) "na hora certa".

"Há uma comissão técnica trabalhando neste tema. Eu emiti o que poderíamos chamar de um pronunciamento político", disse Chávez, em entrevista coletiva à imprensa estrangeira.

"O Ministério das Finanças e o do Planejamento estão fazendo um estudo, de cuja primeira análise deduzi que vamos continuar nessa direção, mas não temos por que fazê-lo imediatamente por razões técnicas", justificou o presidente.

Chávez acrescentou que "não há necessidade de fazê-lo de imediato", porque "poderia afetar hoje a realidade nacional, a economia venezuelana e a dívida venezuelana".

No início de abril, Hugo Chávez anunciou a saída da Venezuela do FMI e do Bird, alegando que estes organismo são "ferramentas do império" e por "servirem aos interesses do Norte".

De acordo com as cláusulas da dívida contraída pela Venezuela, caso o governo adote essa medida, alguns investidores podem solicitar o pagamento antecipado dos papéis, em 100% de seu valor nominal, já que não existe nenhum órgão internacional que avalize esses bônus.

Dos 22 bilhões de dólares em títulos, cerca de 25% estariam em condição de "default" (descumprimento do contrato), correspondentes a 4,5 bilhões de dólares, segundo dados da agência de classificação de risco Fitch, em Caracas.

Nos últimos meses, a Venezuela fez emissões de dívida, com o objetivo de conseguir liquidez, promover a economia e amenizar a inflação: 2,5 bilhões de dólares no "Bono del Sur" (bônus binacional argentino-venezuelano) e 7,5 bilhões da estatal PDVSA.

Recentemente, o ministro das Finanças, Rodrigo Cabezas, anunciou uma nova emissão de papéis entre 500 milhões e 1 bilhão de dólares do "Bono del Sur III" (ou Bônus do Sul), para o segundo trimestre do ano.

"De fato, não temos nada a ver com o Fundo Monetário Internacional, nem com o Banco Mundial", disse Chávez, lembrando que a Venezuela pagou há pouco tempo todas as suas dívidas com os dois organismos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host