UOL Notícias Notícias
 

07/06/2007 - 11h11

Manifestantes em terra e mar contra o G8

HEILIGENDAMM (Alemanha), 7 jun (AFP) - Os manifestantes anti-G8 iniciaram uma jornada espetacular nesta quinta-feira, na Alemanha, com uma perseguição entre militantes do Greenpeace e a polícia, no Mar Báltico, perto da sede da reunião de cúpula dos chefes de Estado e de Governo em Heiligendamm.

As embarcações da polícia conseguiram parar os manifestantes, mas jogaram quatro deles ao mar, a uma centena de metros da costa.

"O G8 deve agir agora sobre o clima", dizia uma bandeira amarela estendida pelos manifestantes em um dos botes infláveis motorizados da ONG, quando eles foram detidos pelas forças de segurança, segundo as imagens exibidas pelos canais de televisão alemães.

Por terra, aproximadamente mil manifestantes contornavam as barreiras de segurança que protegem a cúpula em Heiligendamm, bloqueando um dos dois acessos ao hotel da reunião do G8.

A maioria dos manifestantes contra a globalização, de pacifistas a simpatizantes de extrema-direita, passou a noite no local, para perturbar a logística da cúpula, disse da Christoph Kleine, porta-voz da operação "Block G8".

A porta de entrada sudeste do local, na área chamada "Rennbahn", ainda estava bloqueada por centenas de manifestantes pacíficos. Um outro bloqueio, mais adiante, foi armado em B¶rgerende. Segundo a polícia, este lugar não é um local de acesso ao local da cúpula.

A outra porta de entrada, a "Bollhagen", do lado sudoeste, não estava ocupada por nenhum manifestante nesta quinta-feira, destacou Lüder Behrens, porta-voz da célula especial da polícia encarregada da segurança do G8 e do contra-G8.

Este ponto de acesso, bloqueado quarta-feira por milhares de manifestantes, foi evacuado pela polícia à noite. Grupos extremistas e forças de ordem entraram em conflito.

Segundo a polícia, 272 pessoas foram interrogadas e 53 detidas desde a noite de quarta-feira, em Bollhagen, assim como no local chamado Bartenshagen, mais distante da sede.

A ferrovia pela qual os jornalistas chegam a Heiligendamm, em um pequeno trem a vapor, foi reaberta ao tráfego na manhã desta quinta-feira, depois de ter sido bloqueada durante uma boa parte da quarta-feira.

"No entanto, não excluímos a possibilidade de os manifestantes tentarem bloqueá-la novamente no decorrer do dia", disse Behrens.

Mais de 10.000 pessoas no total participam de operações de bloqueio, segundo Kleine. Durante várias horas, os manifestantes obrigaram os organizadores da cúpula a levar as delegações, os intérpretes e jornalistas de helicóptero e barco.

No caminho de "Tilleuls", que leva à porta de entrada sudeste de Heiligendamm, o ambiente estava calmo na manhã desta quinta-feira, mas ainda há cerca de 500 manifestantes ainda no local.

"A noite foi calma, mas fez frio", conta Nadia, berlinense de 24 anos, com os olhos marcados de sono. "Felizmente, equipes dos acampamentos vieram nos trazer cobertores", acrescentou.

Sob um belo sol, eles se organizavam para mais um dia de plantão nas estradas.

Os organizadores pretendem manter os bloqueios até o fim da cúpula, marcado para sexta-feira.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host