UOL Notícias Notícias
 

10/07/2007 - 11h16

Atentado suicida no sul do Afeganistão deixa 17 mortos

KANDAHAR, Afeganistão, 10 Jul (AFP) - Dezessete pessoas morreram, incluindo 12 crianças, e sete soldados ficaram feridos em um atentado suicida contra um comboio de uma força da Otan no sul do Afeganistão, informou a polícia de Oruzgan.

O terrorista, que estava a pé, detonou os explosivos presos ao corpo em um mercado, perto de um comboio da Otan, na cidade de Dehrawood (400 km ao sul de Cabul), declarou o general Mohammad Qasem.

O chefe de polícia provincial, Mohamad Qasem, disse à AFP que, além do terrorista, cinco homens e 12 estudantes de 10 a 15 anos faleceram no ataque.

Quase 30 pessoas ficaram feridas, algumas delas estão em situação crítica, segundo o ministério do Interior.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) confirmou em um comunicado o atentado suicida que provocou vítimas civis e sete feridos entre a Isaf.

Um porta-voz dos talibãs, Yusuf Ahmadi, reivindicou o atentado em uma ligação telefônica à AFP.

Este é o atentado mais grave no Afeganistão desde 17 de junho, quando 35 pessoas faleceram em um ataque suicida contra um ônibus da polícia em Cabul, o mais sangrento desde a queda do governo talibã, em novembro de 2001.

Soldados holandeses e australianos estão posicionados na província de Oruzgan, onde há várias semanas violentos combates deixaram dezenas de mortos entre os rebeldes e 60 entre os civis.

Além disso, um soldado da coalizão sob comando americano não resistiu aos ferimentos sofridos na segunda-feira em um tiroteio contra uma base militar da província de Herat (oeste) e faleceu nesta terça-feira.

Um militar afegão que pediu anonimato disse à agência de notícias privada Pajhwok que o oficial americano, que era conselheiro na base, foi vítima dos disparos de um soldado afegão hostil à presença das forças internacionais. A coalizão se negou a confirmar ou desmentir a informação.

Desde o início do ano, 109 soldados da Isaf e da coalizão morreram no Afeganistão, em sua maioria durante operações. Em 2006, 191 soldados estrangeiros faleceram na missão afegã.

Quase 3.000 pessoas, incluindo mais de 600 civis, morreram em atos de violência no Afeganistão desde o início do ano, segundo uma contagem da AFP com base em dados oficiais.

Os talibãs executam muitos ataques e atentados suicidas, inspirados nos métodos da Al-Qaeda, com a qual estão vinculados, contra as forças de segurança afegãs e internacionais.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h19

    -0,92
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h23

    1,37
    64.631,52
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host