UOL Notícias Notícias
 

27/07/2007 - 11h35

Secretário do papa diz que o Ocidente está ameaçado pela islamização

Filippo Monteforte/AFP
Bento 16 saúda fiéis em Castel Gandolfo
MAIS IMAGENS DO DIA
BERLIM, 27 Jul 2007 (AFP) - O secretário pessoal do papa Bento 16 lançou uma advertência sobre a expansão do islamismo no Ocidente, em uma entrevista publicada nesta sexta-feira pela revista alemã Süddeutsche Zeitung.

"Não podemos negar as tentativas do islamismo de se estender pelo Ocidente e não deveríamos ser muito compreensivos a ponto de não ver que isso ameaça a identidade da Europa", declarou Georg Gaenswein.

"A Igreja Católica vê isso claramente e não tem medo de dizê-lo em público".

Gaenswein classificou de "profético" o controvertido discurso que o Papa pronunciou na Universidade de Regensburg durante sua visita à Alemanha, em setembro passado, no qual aparentemente relacionou o islamismo com a violência.

"O discurso pretendia precisamente contra-atacar a ingenuidade existente; está claro que não há só um islamismo e ao Papa não consta que nenhuma autoridade fale a todos os muçulmanos", acrescentou.

O monsenhor Gänswein, considerado o 'mais bonito homem de batina já visto no Vaticano', disse que isso 'não é uma coisa que faz mal, até me alegra também e não é nenhum pecado'
'SER BONITO NÃO É PECADO'
LEIA MAIS
"O conceito agrupa escolas muito diferentes... algumas delas usam o Corão para justificar o uso das armas", disse ainda.

Para Gaenswein, o Vaticano está tentando promover o diálogo inter-religioso em nível internacional.

Em seu discurso de setembro do ano passado, Bento 16 citou um imperador medieval cristão que classificava alguns dos ensinos do profeta Maomé de "malvados e desumanos".

O discurso do papa originou violentos protestos nos países muçulmanos, que duraram dias e obrigaram o Sumo Pontífice a declarar que sentia profundamente ter feito qualquer tipo de ofensa.

Bento 16 atribuiu então a ira muçulmana a um "erro infeliz", mas não se desculpou pelos comentários.

O site do Vaticano publicou uma versão comentada do discurso em que o papa dizia: "A frase ofensiva não expressava minha opinião pessoal sobre o Corão, pelo qual sinto respeito devido ao fato de ser um livro sagrado de uma grande religião".

Georg G¤nswein trabalha e vive ao lado de Bento 16. Ele e outros cinco colaboradores - entre os quais quatro religiosos italianos - dividem um grande apartamento do Vaticano.

Em outros comentários paralelos à suas bombásticas declarações, Gaenswein revelou na entrevista que o papa sempre usa branco, inclusive em particular, apesar de não querer confirmar os rumores de que Sua Santidade sempre calça sapatos da marca italiana de luxo Prada.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h49

    0,07
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h55

    -0,57
    63.721,00
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host