UOL Notícias Notícias
 

27/08/2007 - 15h35

Correa descarta mudança de cúpula militar após morte de ministra no Equador

QUITO, 27 Ago 2007 (AFP) - O presidente do Equador, Rafael Correa, negou nesta segunda-feira que fará mudanças em sua cúpula militar e anunciou que avaliará sanções mais drásticas para os militares envolvidos diretamente no acidente aéreo que matou a então ministra da Defesa, sua filha e cinco oficiais.

Correa se declarou inconformado com as punições estabelecidas pela justiça militar, dizendo que examina o caso por conta própria. O incidente ocorreu no dia 24 de janeiro deste ano.

"Estamos estudando o caso para tomar medidas com muita calma, muita prudência, para que dentro do regulamento militar os envolvidos sejam punidos de forma mais drástica", afirmou o presidente, em declarações divulgadas por sua secretaria de Comunicação.

Correa também reclamou dos juízes militares, que condenaram os funcionários envolvidos indiretamente a apenas dez dias de prisão, mas descartou a demissão da atual cúpula militar como querem os familiares da ministra Guadalupe Larriva.

"Não considerei mudar ninguém do alto comando. Os familiares e os socialistas querem envolver a cúpula porque estava presente, mas não concordo por ser uma tremenda injustiça", disse.

Larriva, sua filha e cinco oficiais morreram no choque entre dois helicópteros militares Gacela, de fabricação francesa.

Um relatório técnico elaborado com apoio de Chile, França, Equador e Venezuela e divulgado em março descartou falhas mecânicas da aeronave, atribuindo o acidente a "uma distração e ao estresse dos pilotos".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host