UOL Notícias Notícias
 

17/09/2007 - 13h56

Bush fica surpreso por comentários de Greenspan em seu livro

WASHINGTON, 17 Set 2007 (AFP) - O presidente George W. Bush está surpreso pelas declarações do ex-presidente do Fed Alan Greenspan afirmando que a invasão dos Estados Unidos ao Iraque se deve em grande parte ao petróleo, informou a Casa Branca nesta segunda-feira.

"Embora tenha um grande respeito por Greenspan, creio que o presidente ficou um pouco surpreso com algumas das críticas" que aparecem em seu livro "The Age of Turbulence: Adventures in a New World" ("A Era das Turbulências: aventuras em um novo mundo"), que chegou às livrarias nesta segunda-feira, ressaltou Perino.

Greenspan, conhecido durante seus anos à frente do Federal Reserve (Fed) por seu caráter discreto, é direto em suas memórias, nas quais acusa Bush de abandonar os princípios econômicos de seu Partido Republicano.

"Entristece-me que seja politicamente inconveniente reconhecer o que todos sabem, que a guerra no Iraque é, em boa parte relacionada ao petróleo", escreve Greenspan em suas memórias.

O livro é publicado um ano e meio depois de ele deixar o Fed, em meio a uma encruzilhada americana e antes da reunião importante do comitê de política monetária do banco, atualmente presidido por Ben Bernanke.

No livro, Greenspan conta sua versão da história de quase duas décadas à frente de uma das instituições mais poderosas do mundo, mas também fala de assuntos políticos e não evita críticas ao governo de Bush.

O secretário da Defesa americano, Robert Gates, embora tenha mostrado "respeito" a Greenspan, negou que tenha sido a sede de petróleo a causa da invasão ao Iraque dirigida pelos Estados Unidos em março de 2003, que conseguiu derrubar o governo de Saddam Hussdein.

"Sei que a mesma acusação foi feita para a Guerra do Golfo em 1991, simplesmente não acredito que isto seja verdade", disse Gates ao canal ABC.

Greenspan, que toda vida foi republicano, escreveu que sugeriu à Casa Branca vetar algumas leis para reduzir os gastos "fora do controle", quando seus colegas do partido ainda dominavam o Congresso.

Segundo o jornal "Wall Street Journal", ele afirmou que Bush cometeu "um erro capital".

Os republicanos no Congresso, escreveu Greenspan, "mudaram seus princípios no poder. No final, ficaram sem nada".

"Eles mereceram perder nas eleições legislativas de 2006", acrescenta, a respeito da votação permitiu aos opositores democratas assumir o controle das duas câmaras do Congresso.

Greenspan, de 81 anos, oferece sua própria versão dos fatos que cercaram o "crash" da Bolsa em 1987, a explosão da bolha da internet e a recessão após os ataques de 11 de Setembro de 2001.

A porta-voz da Casa Branca, por sua vez, destacou uma entrevista de Greenspan publicada esta segunda-feira pelo jornal Washington Post na qual disse o contrário, que o "petróleo não foi o motivo pelo qual os Estados Unidos se comprometeram e foram ao Iraque".

"Só estou dizendo que, se alguém me perguntasse 'Fizemos bem em derrubar Saddam (Hussein)?', eu responderia que foi essencial", afirmou Greenspan ao periódico.

Na entrevista, divulgada após a polêmica provocada pela divulgação de trechos de suas memórias, Greenspan assegurou que havia expressado suas preocupações e críticas a Bush e ao vice-presidente Dick Cheney.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host