UOL Notícias Notícias
 

06/06/2008 - 12h30

Encontro discreto Hillary-Obama em meio a rumores sobre uma "chapa dos sonhos"

WASHINGTON, 6 Jun 2008 (AFP) - Hillary Clinton se reuniu com Barack Obama na noite de quinta-feira, pela primeira vez desde que começou a reivindicar a indicação democrata para a eleição presidencial americana de novembro, numa suposta preparação para anunciar a ele seu apoio, oficialmente, neste sábado, em Washington.

"A senadora Clinton e o senador Obama se encontraram ontem à noite e tiveram uma discussão interessante sobre o trabalho importante que ainda deve ser feito para uma vitória em novembro", anunciaram, durante a madrugada, os dois antigos adversários à indicação democrata à Casa Branca, em comunicado comum.

O encontro foi qualificado de "cordial" nesta sexta-feira pelo chefe de comunicação da campanha de Obama, Robert Gibbs.

"O principal assunto" da reunião que aconteceu em Washington dizia respeito à unidade do Partido Democrata", precisou Gibbs em entrevista à CNN. Indagado se os dois senadores chegaram a evocar a questão da vice-presidência, Gibbs respondeu que o tema é muito importante e precisou que a equipe de campanha do senador de Illinois pretende mostrar discrição enquanto o processo de seleção de um candidato à vice-presidência estiver em curso. "Obama tomará a própria decisão entre hoje e a convenção", prevista para o final de agosto em Denver, afirmou.

Desde terça-feira, a especulação toma conta de Washington sobre um possível papel da ex-primeira-dama na campanha do senador de Illinois enquanto candidata à vice-presidência.

Eles mantiveram a reunião em casa da senadora democrata da Califórnia, Dianne Feinstein, informou o Washington Post. Segundo a CNN, o encontro contou com a presença de apenas alguns altos dirigentes da campanha.

Essa entrevista aconteceu na véspera do anúncio por Hillary Clinton de seu apoio a Obama. Ela porá oficialmente um fim neste sábado a uma longa campanha de 16 meses pelo que insiste na presença de seus partidários em Washington.

Esta reunião está prevista para o meio-dia, hora local (16HOO GMT), no National Building Museum na capital americana, anunciou a equipe de campanha de Hillary Clinton.

A senadora por Nova York animou ela própria a esperança de uma "chapa dos sonhos" declarando terça-feira aos colegas democratas que estaria aberta a esta idéia. Ela anunciou, no entanto, quinta-feira, que não pediria a vice-presidência, sem precisar qual seria sua resposta se Barack Obama propusesse essa possibilidade.

Hoje, o senador democrata por Nova York, Chuck Schumer, um dos apoiadores de Hillary, afirmou à ABC que ela aceitaria o cargo se fosse proposto.

"Ela disse que se o senador Obama quiser que seja vice-presidente e pensar que seria a melhor escolha para a chapa, ela aceitaria", declarou.

Ouvido ontem pela CNN, Obama reafirmou quanto a ele que o nome de Hillary Clinton estaria na "lista de favoritos" para a vice-presidência de qualquer candidato.

Para vencer o candidato republicano John McCain em novembro, Obama vai precisar reunir em torno de si a base do eleitorado de Hillary (mulheres, operários, idosos e os americanos de origem latina), pela qual foi derrotado durante as primárias.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host