UOL Notícias Notícias
 

07/12/2008 - 20h12

Morte de adolescente nas mãos da polícia gera violentos protestos na Grécia

ATENAS, 7 dez 2008 (AFP) - As violentas manifestações contra a morte do jovem Andreas Grigoropulos, de 15 anos, assassinado a tiros por um policial na noite de sábado, se espalharam por várias cidades da Grécia neste domingo, com bancos, lojas e carros incendiados e pelo menos 20 pessoas feridas, entre elas um policial.

Bancos e lojas foram atacados em Atenas e em Salônica (norte da Grécia) por manifestantes que protestavam contra a morte do adolescente.

Em Patras (oeste), um policial ficou ferido neste domingo e vários carros foram incendiados.

Em Tessalônica, uma dezena de bancos e lojas, além de uma delegacia de polícia, foram incendiados com coquetéis molotov, enquanto cerca de 2.000 manifestantes se concentraram na avenida Egnatia.

Em Heráclion, capital da ilha de Creta (sul), três agências bancárias foram atacadas. Em Hania, outra cidade da ilha, coquetéis molotov foram lançados contra a prefeitura.

O incidente aconteceu às 21H00 horário local de sábado (19H00 GMT), no bairro atenense de Exarchia. Andreas Grigoropulos foi atingido quando atirava pedras e outros objetos contra uma viatura da polícia junto com um grupo de cerca de 30 jovens.

Ferido no peito, o adolescente foi levado para um hospital próximo, onde os médicos atestaram sua morte. Enfrentamentos entre policiais e grupos de jovens são freqüentes no bairro.

O centro da capital grega foi cercado pela polícia, enquanto jovens encapuzados lançavam pedras e coquetéis molotov contra os agentes, que respondiam com bombas de gás lacrimogêneo.

As fachadas de vários bancos foram danificadas pelos manifestantes, e a sucursal de uma concessionária de carros franceses foi incendiada com um coquetel molotov.

Cerca de 5.000 pessoas se reuniram no começo da tarde perto de bairro de Exarchia, protestando contra a "arbitrariedade" dos policiais e contra o governo do primeiro-ministro Kostas Karamanlis.

O delegado de Exarchia e os dois policiais envolvidos no incidente foram ssupensos, segundo a Agência de Notícias de Atenas (semi-oficial).

O policial que atirou no adolescente foi detido, acusado de "homicídio doloso", indicou uma fonte policial.

O agente, identificado como Epaminondas Korkoneas, de 37 anos, disparou três tiros, atingindo com um deles o jovem Andreas. Korkoneas está detido na Diretoria da Polícia de Atenas, segundo a mesma fonte.

O juiz de instrução deu ao policial três dias para depor.

O promotor também entrou com um processo por "cumplicidade" contra o policial Vassilis Saraliotis, de 31 anos, que estava junto com Korkoneas na hora do incidente. Saraliotis está detido.

O ministro do Interior, Prokopis Pavlopulos, e a polícia expressaram sua "profunda dor" pela morte do jovem. O ministro condenou o assassinato, mas disse que se trata de um "incidente isolado" e pediu que os responsáveis recebam uma "punição exemplar". Três promotores investigam o caso.

O ministro do Interior pediu que os grupos de defesa dos direitos e humanos e movimentos de esquerda, que organizavam algumas das manifestações na tarde deste domingo em Atenas e Salônica, não recorressem a "atos extremos".

Pavlopulos e o secretário de Estado de seu ministério, Panayotis Hinofotis, apresentaram durante a noite um pedido de demissão ao primeiro-ministro, que o rejeitou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host