UOL Notícias Notícias
 

09/12/2008 - 13h32

Adolescente grego morto a tiros pela polícia é enterrado em Atenas

Em Atenas (Grécia)*
O jovem Alexis Grigoropoulos, de 15 anos, morto no sábado a tiros por um policial - um fato que motivou uma onda de violência urbana na Grécia - foi enterrado nesta terça-feira em Atenas entre aplausos e slogans hostis endereçados à polícia.

TUMULTO NA GRÉCIA

  • AFP

    Tumultos começaram depois que um jovem foi morto por policial

  • Reuters

    Caixão de Grigoropoulos foi seguido por milhares em funeral

  • EFE

    Novos protestos tomaram a frente do Parlamento de Atenas nesta 3ª

"Policiais, porcos, assassinos", gritavam vários jovens quando o corpo do adolescente foi levado em um caixão branco a seu túmulo no cemitério de Palio Faliro, na periferia de Atenas. "Alexis está vivo", gritavam em coro, enquanto, seguindo a tradição grega nos enterros, as pessoas aplaudiam.

Apesar do pedido da família para que as câmaras não estivessem presentes, as televisões gregas transmitiram o funeral ao vivo. Mais de 2.000 pessoas estiveram no enterro do jovem.

Terceira noite de violência
A polícia grega prendeu 87 manifestantes na segunda-feira, na terceira noite consecutiva de conflitos na capital. Muitos detidos foram acusados de saquear as lojas do centro de Atenas durante o protestos, que resultaram nos episódios mais graves de violência urbana da história do país.

Doze policiais ficaram feridos nos confrontos entre policiais e estudantes e pelo menos 10 pessoas foram hospitalizadas por problemas respiratórios, uma vez que os policiais combateram as bombas incendiárias dos manifestantes com gás lacrimogêneo.

Além de estabelecimentos comerciais, carros, latas de lixo e até a gigantesca árvore de Natal na Praça Syntagma, no centro de Atenas, foram queimadas. Choques violentos foram registrados em várias partes do país, inclusive Rodes e Creta, na segunda-feira. Delegacias foram atacadas em Pireus e Corfu. Centenas de estudantes entraram em choque com tropas de choque em Salônica, a segunda maior cidade grega, onde estudantes usaram as instalações da universidade para armazenar bombas incendiárias.

Os bombeiros receberam 190 chamadas para apagar focos de incêndio. Dois bombeiros também foram internados com problemas respiratórios. Os incidentes aconteceram na segunda-feira à noite.

O primeiro-ministro da Grécia, Costas Karamanlis, reuniu-se com o presidente Karolos Papoulias e os líderes dos partidos de oposição para discutir como acalmar os manifestantes e pôr fim aos distúrbios.

Karamanlis pediu solidariedade para com a família de Grigoropoulos, mas disse que o governo tem a obrigação de proteger a comunidade. "Os eventos inaceitáveis e perigosos que ocorreram ante as emoções mais extremas não podem e não devem ser tolerados", afirmou.

Dois policiais foram presos em conexão com a morte de Grigoropoulos, mas o resultado do exame necrológico deve determinar a trajetória da bala que o matou e esclarecer o incidente.

O policial que disparou o tiro diz que o adolescente foi morto quando a bala ricocheteou, mas testemunhas disseram à TV grega que este foi um tiro direto.

Uma operação de limpeza está sendo realizada na capital grega nesta terça-feira, depois de uma terceira noite de distúrbios. Bancos, lojas e hotéis em Atenas foram depredados e atacados com bombas incendiárias.

*Com informações da BBC

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    0,50
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h40

    0,30
    74.663,37
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host