UOL Notícias Notícias
 

11/12/2008 - 09h47

Secretário de Defesa dos EUA promete mais tropas ao Afeganistão

CABUL, 11 dez 2008 - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, que faz uma visita surpresa ao Afeganistão, prometeu nesta quinta-feira enviara de 7.000 a 8.000 soldados americanos adicionais ao país asiático, diante do aumento da violência talibã.

  • Reuters

    Robert Gates chega a Kandahar durante visita ao Afeganistão

"Vamos tentar enviar duas brigadas adicionais antes do verão", declarou Gates à imprensa no avião que o levou a Kandahar, sul do Afeganistão.

"No momento não sabemos quanto tempo será necessário para enviar outras" brigadas, acrescentou.

As duas novas brigadas se unirão à brigada da 10ª Divisão de Montanha, que se deslocará em janeiro aos arredores de Cabul, segundo o calendário previsto pelas autoridades americanas.

Uma brigada está formada por 3.500 a 4.000 soldados.

No entanto, o comandante das forças internacionais no Afeganistão, o comandante David McKiernan, havia solicitado o envio de quatro brigadas e outros elementos de apoio, em um total de 20.000 homens.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, já anunciou o envio de mais tropas ao Afeganistão para "esmagar a Al-Qaeda de uma vez por todas" e "capturar ou matar o líder da rede, Osama bin Laden".

Gates, porém, advertiu contra um envio excessivo de soldados a um país imerso em guerras civis e insurreições contra as forças estrangeiras.

"A história das forças estrangeiras no Afeganistão não é muito positiva: os afegão as consideram forças de ocupação que buscam os próprios interesses", argumentou o secretário de Defesa.

"Os soviéticos foram incapazes de controlar o Afeganistão com 120.000 homens, e eles não se importavam com os danos colaterais", acrescentou.

Gates garantiu que todos concordam com a aceleração do processo de formação do Exército do Afeganistão e pediu um protagonismo maior dos afegãos no mesmo, criticando o modo de cooperação entre autoridades militares americanas e afegãs.

"Os afegãos se irritam quando dizemos o que vamos fazer, ao invés de apresentar propostas, sem levar em consideração suas idéias e sem trabalhar com eles".

"Acredito que deveríamos ser mais sensíveis neste aspecto e mudar nossos hábitos com o objetivo de establecer uma verdadeira cooperação", concluiu.

Durante a visita surpresa, Gates se reunirá com os comandantes da força da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão.

A rebelião talibã intensificou a violência nos últimos meses, o que obrigou o governo dos Estados Unidos a revisar a estratégia e aumentar o número de tropas.

Gates foi nomeado secretário de Defesa pelo presidente George W. Bush em 2006. O presidente eleito, Barack Obama, que assumirá o poder no dia 20 de janeiro, anunciou que pretende mantê-lo no cargo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h09

    -0,56
    63.727,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host