UOL Notícias Notícias
 

12/12/2008 - 14h43

Morre a lendária pin-up Bettie Page, ícone da revolução sexual

LOS ANGELES, 12 dez 2008 (AFP) - Faleceu na quinta-feira em um hospital de Los Angeles, aos 85 anos, a pin-up por excelência dos anos 40, Bettie Page - a modelo cujas imagens sensuais reproduzidas em grande escala fascinaram os americanos e o mundo e ajudaram a provocar a revolução sexual das décadas seguintes.

"Com profunda tristeza devo anunciar que minha querida amiga e cliente Bettie Page faleceu às 6:41 pm (0h41 de Brasília, sexta-feira) em um hospital de Los Angeles", anunciou o agente Mark Roesler em um comunicado.

"Ela morreu em paz, mas sem ter conseguido recuperar a consciência depois de ter sofrido um ataque cardíaco há nove dias", acrescenta a nota.

"Ela capturou a imaginação de uma geração de homens e mulheres com seu espírito independente e sua sensualidade. Ela era a encarnação da beleza", completou Roesler.

O funeral está programado para o dia 16 de dezembro no Cemitério Westwood Memorial em uma cerimônia privada.

Bettie Mae Page nasceu em Nashville (Tennessee, sul dos EUA) em 1923 em uma família pobre de cinco irmãos.

Trabalhou como secretária e tentou a carreira de atriz em Hollywood, mas não conseguiu realizar este sonho. No fim da década de 50, Page se tornou a mulher mais fotografada do mundo, e sua popularidade disparou.

Ela se dizia intrigada com o efeito que suas fotos tiveram sobre a cultura pop. "Não faço idéia de por quê sou a única modelo que continuou fazendo tanto sucesso mesmo passado tanto tempo depois de ter parado de trabalhar", comentou em 2006 numa entrevista ao jornal Los Angeles Times.

Já idosa, se negava a ser fotografada, para preservar sua imagem mítica.

"Quero ser lembrada como fui quando era jovem, nos meus tempos dourados (...). Quero ser lembrada como a mulher que mudou a perspectiva das pessoas a respeito da nudez em sua forma natural", justificava.

Page combinou doçura e sexualidade em uma - hoje lendária - série de fotografias durante os anos 50, incluindo o pôster central na primeira revista Playboy, que a chamou de "modelo do século".

Bettie posou para a primeira série fotos 'pin-up' em 1947. Nos anos 50 suas imagens provocantes de biquíni ou lingerie sexy eram muito populares, quando eram vistas nas paredes de oficinas mecânicas, quartos de estudantes e barracas militares.

Ainda que suas fotos estivessem de acordo com os padrões da época, Page deixava os mais conservadores de cabelo em pé - levando um grupo de senadores americanos a investigar o que consideravam ser um componente pornográfico das imagens.

Bettie Page chegou a ser intimada a comparecer perante um comitê do Senado, presidido pelo democrata Estes Kefauver, mas não precisou depor.

Para ela, as fotos eram uma diversão inofensiva. "Honestamente, ninguém pode levar isso a sério", disse, anos depois.

"Nunca entendi como alguém inventou que essas poses eram sensuais. Ficar amarrada? Eu acho que não", afirmou.

Em 1958, no auge de sua fama, Page sumiu da vista do público e encerrou seus dias como modelo.

Tornou-se uma cristã carismática, mas precisou lutar contra a depressão e os vários problemas no casamento. Em 1992, deixou um hospital psiquiátrico na Califórnia (oeste), onde havia sido diagnosticada como paranóica esquizofrênica.

Nos anos 90, um advogado que depois se tornou seu agente, Mark Roesler, usou suas célebres imagens, que a ajudaram financeiramente e renovaram sua fama.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host