UOL Notícias Notícias
 

23/12/2008 - 22h30

Relatório descarta envolvimento da equipe de Obama no caso Blagojevich

WASHINGTON, 23 dez 2008 (AFP) - Um relatório divulgado nesta terça-feira pelos democratas afirma que a equipe do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, não teve qualquer participação no escândalo de corrupção envolvendo o governador de Illinois, Rod Blagojevich.

O documento, encomendado pelo próprio Obama para investigar o possível envolvimento de membros de sua equipe no escândalo, foi divulgado por Greg Craig, assessor legal do presidente eleito.

Segundo Craig, o relatório confirma a declaração de Obama, de 11 de dezembro passado, de que jamais tratou com o governador sobre o nome para substitui-lo no Senado.

De acordo com o vice de Obama, Joe Biden, "o relatório mostra que nem o presidente eleito, nem qualquer outro membro da equipe de transição, tiveram contatos impróprios com Blagojevich".

O relatório admite que o futuro secretário-geral da Casa Branca, Rahm Emanuel, conversou "uma ou duas vezes" por telefone com Blagojevich, no início de novembro, após a eleição de Obama.

Segundo o documento, Emanuel e Blagojevich conversaram "brevemente" sobre a cadeira deixada por Obama no Senado com sua eleição para a presidência.

O relatório revela que Obama foi interrogado sobre o assunto pelo promotor Patrick Fitzgerald na semana passada, do mesmo modo que Emanuel e Valerie Jarrett, outra futura assessora da Casa Branca.

Jarret conversou brevemente com Blagojevich, mas apenas depois de rejeitar qualquer pretensão ao Senado.

Segundo a investigação, Eric Whitaker, amigo de Obama, foi contactado pela vice-governadora de Illinois, Louanner Peters, a quem transmitiu a mensagem de que o presidente eleito não tinha qualquer interesse em opinar sobre sua sucessão no Senado.

"Todas estas conversas foram totalmente inocentes. Todos se comportaram de forma apropriada", disse Craig à imprensa sobre o relatório.

O documento elaborado pela equipe de Obama não traz transcrições dos diálogos entre Emanuel e Blagojevich, e Craig destacou que isto é uma prerrogativa dos investigadores federais encarregados do caso.

Blagojevich, que é acusado de ter negociado a venda da cadeira de Obama no Senado, nega-se a renunciar e garante que limpará seu nome. O Parlamento de Illinois discute seu impeachment.

Quando há vacância no Senado, corresponde ao governador do Estado representado indicar quem substituirá o senador ausente.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h39

    -0,96
    3,150
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h44

    0,56
    70.400,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host