UOL Notícias Notícias
 

01/02/2009 - 22h15

Helicóptero com 4 reféns colombianos das Farc chega a Villavicencio

BOGOTÁ, 1 Fev 2009 (AFP) - O helicóptero brasileiro com quatro reféns colombianos libertados neste domingo pela guerrilha das Farc pousou às 18H56 (23H56 GMT, 21H56 de Brasília) no aeroporto Vanguardia da cidade de Villavicencio, 90 km a sudeste de Bogotá, constatou a AFP.

Os reféns desceram da aeronave e levantaram as mãos para saudar os membros do grupo "Colombianos pela Paz" que os receberam com flores na pista iluminadada do terminal.

A aeronave pousou em Villavicencio quase 11 horas depois de ter decolado com quatro integrantes da comissão de paz e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

As Farc entregaram os reféns Alexis Torres, Juan Fernando Galicia e José Walter Lozano, membros da polícia, e o soldado William Rodríguez", destacou um comunicado do organismo.

Anteriormente, o destino dos três policiais, do soldado e de membros da delegação que partiu para resgatá-los havia suscitado várias horas de incerteza, provocada por declarações divulgadas pela rede venezuelana de televisão Telesur.

A operação de entrega de quatro reféns da guerrilha das Farc na selva do sul da Colômbia está "tomando rumo delicado", chegou a dizer neste domingo Cristophe Beney, chefe da delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), que chegou a pedir calma às partes.

"Peço expressamente a todos, calma, prudência", afirmou Beney à imprensa em Bogotá.

"Nada justifica pôr em perigo o retorno a seus lares de pessoas privadas da liberdade", acrescentou.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) denunciaram na Telesur que um membro da guerrilha morreu e outro foi dado por desaparecido "em confrontos com o exército colombiano" durante as operações de resgate de vários reféns.

Segundo o comandante do grupo insurgente Jairo Martínez, "o guerrilheiro morto é chamado Saúl, estando desaparecido ou detido um dos guardas dos prisioneiros.

"Aeronaves do exército colombiano dificultaram durante várias horas a operação" de libertação, declarou à Telesur Jorge Enrique Botero, da comissão Colombianos para a paz.

A rede de televisão também informou sobre "dificuldades" acontecidas, como "aviões colombianos que voavam junto aos helicópteros da comitiva de libertação".

O governo colombiano negou neste domingo que estivesse efetuando operações militares na zona do sul do país.

"Não vamos permitir acusações sem nenhum fundamento e suporte", disse o comissário para a Paz do governo, Luis Carlos Restrepo, em entrevista à imprensa no aeroporto Vanguardia de Villavicencio (90 km a sudeste de Bogotá).

"As garantias estão dadas, não entendemos o porquê deste tipo de denúncia", acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host