UOL Notícias Notícias
 

11/08/2009 - 09h53

Militante de ONG e marido encontrados mortos na Chechênia

MOSCOU, Rússia, 11 Ago 2009 (AFP) - A diretora de uma ONG de defesa dos direitos humanos e seu marido, sequestrados na segunda-feira em Grozny, foram encontrados mortos na turbulenta capital da república russa do Cáucaso, e menos de um mês depois do assassinato de uma militante chechena.

"Esta manhã, no cantão de Chernorechieh, em Grozny, foram encontrados os corpos de Zarema Sadulaeva e de seu marido. Haviam sido sequestrados ontem (segunda-feira) às 14H00 locais em seu escritório", afirma um membro da diretoria de outra ONG, Memorial, Alexander Cherkasov.

As autoridades locais confirmaram a descoberta dos corpos, segundo a agência Interfax.

"Encontramos os defensores dos direitos humanos na mala de seu carro perto de um ginásio no povoado de Chernorechieh, com ferimentos de bala", declarou um representante do ministério checheno do Interior.

O caso aconteceu menos de um mês depois do sequestro e assassinato da militante dos direitos humanos chechena Natalia Estemirova, de 50 anos, que trabalhava em Grozny para a Memorial.

Estemirova foi sequestrada em 15 de julho e horas mais tarde encontrada assassinada a tiros na vizinha Inguchétia.

Um diretor da Memorial, Oleg Orlov, acusou o presidente checheno, Ramzan Kadirov, de estar por trás do assassinato de Estemirova.

Cherkasov anunciara na segunda-feira que a diretora da ONG "Salvemos a geração", Zarema Sadulaieva, e seu marido haviam sido sequestrados por homens armados não identificados no escritório da organização humanitária.

A ONG "Salvemos a geração" se dedica a ajudar os jovens que vivem na Chechênia na integração com a sociedade, para evitar que entrem para os grupos armados da turbulenta república.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host