UOL Notícias Notícias
 
18/08/2009 - 15h56

Irã discutirá com Washington apenas se as sanções forem retiradas (Khamenei)

TEERÃ, 18 Ago 2010 (AFP) -O guia supremo iraniano Ali Khamenei declarou nesta quarta-feira que o Irã negociará com os Estados Unidos sobre a questão nuclear apenas se Washington retirar as sanções e interromper suas "ameaças" contra Teerã.

"O presidente respeitado (Mahmud Ahmadinejad) e outros disseram que estão prontos para negociações. É verdade, mas não com os Estados Unidos", disse o aiatolá Khamenei, durante uma reunião com autoridades iranianas, entre elas o presidente Ahmadinejad, em um discurso transmitido pela televisão estatal.

"O motivo é que os Estados Unidos não intervêm (...) honestamente como um negociador normal. Eles deveriam parar de brincar de superpotência, deveriam parar com as ameaças, deveriam anular as sanções e não deveriam fixar um objetivo para as negociações. Então, estaremos prontos", disse.

A pedido dos Estados Unidos, o Conselho de Segurança da ONU adotou em 9 de junho uma resolução reforçando as sanções internacionais contra o Irã por seu polêmico programa nuclear, uma iniciativa rapidamente seguida pela adoção de severas sanções unilaterais dos Estados Unidos e da União Europeia.

Paralelamente a essas sanções, as potências ocidentais, que suspeitam que o Irã queira obter a arma atômica sob o pretexto de um programa nuclear civil, tentam fazer com que Teerã volte à mesa de negociações.

Khamenei, que tem a última palavra sobre todas as questões nacionais, afirmou que o Irã sempre recusou as ofertas de diálogo dos Estados Unidos "porque a negociação sob ameaças não pode ser uma negociação".

"A experiência mostrou que quando eles não podem responder de maneira lógica, eles intimidam (...) Não mudaremos de postura sob pressão e responderemos a estas pressões a nossa maneira", acrescentou.

No início de agosto, o presidente Ahmadinejad havia dito que esperava que os Estados Unidos aproveitem "a oportunidade" de discutir uma troca de combustível nuclear com o Irã, reafirmando que Teerã está preparado para iniciar as negociações a partir do final de agosto.

Ele também reiterou a sua proposta de um debate cara a cara com o presidente Barack Obama sobre "os problemas globais" durante a próxima Assembleia Geral da ONU em Nova York, em setembro.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host