UOL Notícias Notícias
 

21/08/2009 - 15h46

Lula e Morales se reúnem na Bolívia para discutir fornecimento de gás

LA PAZ, Bolívia, 21 Ago 2009 (AFP) - O presidente Evo Morales receberá neste sábado em seu feudo cocaleiro do Chapare, no centro da Bolívia, seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, para abordar temas relacionados à compra e venda de gás.

Apesar de o motivo principal da chegada de Lula ser a assinatura de um crédito de 332 milhões de dólares para a construção de uma estrada de 306 km, os mandatários debaterão uma série de temas que vão dos negócios envolvendo gás natural à diversificação do comércio e luta contra o narcotráfico.

Morales já havia confirmado que os dois presidentes iriam abordar o tema dos preço dos volumes de gás que a Bolívia exporta para o Brasil, depois que as compras brasileiras caíram nas últimas semanas de 31 milhões de metros cúbicos diários (MMCD) para uma média de 23 MMCD.

Além do Brasil, a Bolívia deve cobrir a demanda do mercado interno, de entre 6 e 7 MMCD, e a exportação para a Argentina, de 5 a 7 MMCD, que a partir do próximo ano deve subir para 16 MMCD com a construção do novo Gasoduto Nordeste Argentino, projeto que está atrasado.

A possibilidade de revisar os acordos com o Brasil deixou temeroso o ministro do Planejamento para o Desenvolvimento, Noel Aguirre. Aguirre advertiu que "não convém à Bolívia (porque) isso pode diminuir investimentos".

Na mesma linha, o ex-superintendente de Hidrocarbonetos Carlos Miranda, advertiu em declarações ao jornal La Prensa que "o Brasil aceitaria encantado as mudanças (no contrato) porque se houver uma diminuição de 30 para 24 MMCD, o farão em detrimento da Bolívia."

Em uma entrevista por escrito concedida ao jornal La Razón, publicada nesta sexta-feira, Lula afirma: "agora temos que ampliar e diversificar o perfil de nossa relação econômica".

"Estamos também dispostos a continuar apoiando iniciativas e prioridades do governo boliviano em outros setores estratégicos, como o energético", escreveu Lula, enquanto circulam versões não confirmadas de que empresas brasileiras estariam dispostas a fazer grandes investimentos em petroquímica e mineração.

Morales e Lula discutirão também no sábado o anunciado uso de bases militares colombianas por parte dos Estados Unidos, segundo antecipou na quinta-feira em Brasília o porta-voz da Presidência Marcelo Baumbach.

"O presidente pretende falar sobre o assunto com o presidente Morales. O tema das bases, obviamente, preocupa o Brasil porque não sabemos exatamente qual é seu propósito", disse Baumbach.

Morales considera que "permitir uma base militar na América Latina será uma agressão, não só contra os governos, como também contra a democracia na América Latina".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h09

    -0,34
    3,255
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h14

    1,94
    63.875,91
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host