UOL Notícias Notícias
 

05/12/2009 - 15h50

Eleições na Bolívia: controle absoluto do Congresso é decisivo para Evo Morales

LA PAZ, Bolívia, 5 dez 2009 (AFP) - O controle do Congresso é o desafio mais importante para o presidente Evo Morales na eleição boliviana deste domingo, que deve reelegê-lo, embora as pesquisas mostrem que ainda é incerto afirmar que garantirá os 2/3 de senadores para poder reformar a Constituição... e pensar em um terceiro mandato.

Com maioria esmagadora na Câmara dos Deputados, a luta do presidente passa ao Senado. As duas casas fazem parte, agora, da Assembleia Legislativa Plurinacional, o novo nome do Congresso.

Embora o Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente, tenha uma ampla maioria, ainda não possui os dois terços necessários para o controle absoluto.

Segundo as últimas pesquisas, de um total de 36 senadores, o MAS tem 22 garantidos, dois a menos do que precisa para a maioria absoluta. Dos 14 restantes, 9 são garantidos para o direitista Manfred Reyes Villa, 1 para o candidato de centro direita Samuel Doria Medina e 4 ainda não se definiram.

O vice-presidente da República, Alvaro Garcia Linera, anunciou a importância de alcançar o número mágico de 24 senadores para conquistar a maioria absoluta.

"Em nossas pesquisas, que têm limites, faltaria um senador para conseguirmos os dois terços. Estamos lutando por este senador de ouro", disse García Linera.

De qualquer forma, com dois terços ou sem dois terços, vamos convocar as minorias, que devem entender que existe uma maioria histórica, eleitoral, política, que tem de levar adiante suas propostas. "Se não conseguirmos os dois terços, buscaremos o diálogo", acrescentou.

O governo de Morales já sabe o que significa a resistência da oposição no Senado. Neste governo, a direita opositora teve maioria simples, e isso derivou em uma constante luta entre um governo com urgência em aprovar suas leis e uma oposição tentando acalmar o jogo ou bloqueá-lo.

Para o analista independente Carlos Cordero "é possível que o MAS obtenha uma vitória com sabor de derrota, porque se não garantir os dois terços no Senado terá de negociar com a oposição para conseguir a aprovação de leis".

Para analistas políticos, o MAS assumir o controle absoluto do Congresso pode ser perigoso, por Morales vai concentrar o poder.

"Com o controle absoluto do Senado, o MAS pode aprovar as leis que quiser e designar autoridades dos poderes do Estado. Assim estará blindado das observações que lhe são feitas por autoritarismo, pois suas medidas terão respaldo do legislativo", disse o cientista político Carlos Hugo Molina.

A Constituição atual permite ao presidente Evo Morales uma única reeleição, a que deve obter neste domingo, para ficar no poder até 2015. Mas ele pensa em um terceiro mandato.

Na eleição legislativa deste domingo, serão eleitos 130 deputados e 36 senadores que vão integrar a nova Assembleia Legislativa Plurinacional.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host