UOL Notícias Notícias
 
30/12/2009 - 17h07

Explosão de bombas em Atenas e Buenos Aires causam danos, nenhuma vítima

ATENAS, 30 dez 2010 (AFP) -Duas bombas explodiram nesta quinta-feira em Atenas e Buenos Aires, causando danos materiais, mas sem deixar vítimas, a menos de três semanas do julgamento de presumíveis militantes anarquistas acusados de planejar atentados contra embaixadas na capital grega, em novembro.

Uma explosão foi registrada em frente a um tribunal de Atenas, pela manhã, depois de um telefonema de advertência que levou a polícia a evacuar a zona. O impacto rompeu os vidros de várias janelas do local, perto do centro da capital grega, e dos prédios próximos.

Uma hora antes, uma outra bomba foi acionada diante da embaixada da Grécia, no bairro de Recoleta em Buenos Aires, também estilhaçando vidros da sede diplomática e em alguns edifícios vizinhos, informou a polícia da capital argentina.

Nenhum grupo havia assumido os atentados até o momento.

"Segundo as primeiras informações, um coquetel molotov foi atirado contra a embaixada da Grécia (em Buenos Aires)", informou o ministério grego das Relações Exteriores, em comunicado.

Já no atentado em Atenas, o explosivo foi colocado numa moto roubada.

O governo grego condenou o ato, denunciando a ação dos que "buscam aterrorizar a democracia e os cidadãos", prometendo que seus autores seriam levados à justiça, assinalou o porta-voz George Petalotis.

Os atentados acontecem a menos de três semanas do começo do julgamento, no dia 17 de janeiro, de 15 membros presumíveis da "Conspiração das Células de Fogo", um grupo anarquista radical.

No início de novembro, a Grécia sofreu uma série de ataques com pacotes-bomba atribuídos ao movimento anarquista extremista. Explodiram quatro dos 14 enviados a embaixadas estrangeiras e a dirigentes de França, Alemanha e Itália, deixando ferida uma funcionária da empresa de entrega.

O grupo assumiu os atentados em comunicado publicado pelo site de informação alternativa Indymedia. Dois integrantes do grupo suspeitos de terem assinado a carta foram detidos pouco depois.

A "Conspiração das Células de Fogo" tornou-se conhecida em 2008, com vários atentados com artefatos explosivos. O grupo nunca assumiu atentados que tenham deixado mortos, segundo a polícia grega.

Em Roma, na semana passada, dois pacotes-bomba explodiram nas embaixadas da Suíça e do Chile, deixando dois feridos.

A célula anarquista italiana que reivindicou os atentados leva o nome de Lambros Fountas, um suposto membro do grupo extremista grego Luta Revolucionária (EA) que morreu este ano em Atenas, durante confrontos com a polícia.

Na mensagem, a organização italiana manifestou solidaridade aos "companheiros presos" do movimento em Argentina, Chile, México, Grécia e Espanha.

Um terceiro pacote explosivo foi descoberto segunda-feira na embaixada da Grécia em Roma, mas foi neutralizado sem causar vítimas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host