UOL Notícias Notícias
 

06/01/2010 - 12h33

Onda de frio provoca caos no Reino Unido e congela a Europa

LONDRES, 6 Jan 2010 (AFP) - As fortes nevascas que afetam a Grã-Bretanha levaram o caos nesta quarta-feira ao Reino Unido, provocando problemas nos sistemas de transportes e o fechamento de centenas de escolas, enquanto que o resto da Europa registrava temperaturas muito abaixo de zero.

Depois de afetar a Escócia e o norte de Inglaterra, a tempestade de neve atingiu os condados do sul do país e Londres, onde a camada branca chegou a acumular 47 centímetros de espessura em alguns pontos.

Os aeroportos londrinos de Gatwick e Stansted permaneciam fechados na manhã desta quarta-feira, assim como outros em todo o país. O mais importante do país, Heathrow, registrava cancelamentos e atrasos de voos, situação que se repetia em Manchester e Liverpool.

A companhia britânica de baixo custo EasyJet anunciou o cancelamento de mais de 200 voos com origem ou destino no Reino Unido.

A neve também provocou graves problemas nas estradas, onde muitos veículos ficaram bloqueados durante várias horas.

Policiais, militares e bombeiros entraram em ação para levar para abrigos provisórios centenas de motoristas que ficaram retidos durante a noite em uma rodovia de Hampshire, sul do país.

As autoridades também temem que em algumas zonas possa começar a faltar sal, que é espalhado pelas estradas para fundir a neve e o gelo acumulados nas nevascas que os serviços meteorológicos classificaram de "excepcionalmente grandes".

O mau tempo também afetava a rede ferroviária, que oferecia um serviço reduzido na metade sul do país e registrava muitos atrasos, assim como os trens das proximidades da capital.

Apesar dos atrasos, o metrô de Londres não deixou de funcionar.

Em consequência dos problemas dos transportes, a central sindical TUC e muitas empresas recomendaram aos funcionários que permanecessem em casa, no caso do trajeto para o trabalho parecer muito caótico.

Uma pesquisa realizada nesta quarta-feira pelo instituto Península com mais de 460 empresas mostrou que 44% dos funcionários decidiram trabalhar de casa.

Dezenas de milhares de crianças também prolongaram as férias de Natal com o fechamento de centenas de escolas em todo o país, ao mesmo tempo em que a previsão é de mais nevascas nas próximas horas.

A onda de frio, que a meteorologia considera a mais grave desde 1981, matou uma pessoa até o momento. Um idoso faleceu na terça-feira ao perder o controle do carro em uma estrada congelada do condado de Hampshire.

A onda de frio afeta praticamente toda a Europa.

"O vento que vem da Sibéria fica bastante seco e frio ao passar pela Europa. Mas, quando cruza o Mar do Norte e recolhe a umidade, descarrega toda a neve sobre o Reino Unido", explicu um porta-voz dos serviços meteorológicos.

Na Noruega, no entanto, o termômetro caiu na noite de terça -41 graus centígrados em Roeros, uma cidade mineira do centro do país. O frio também causou problemas nos transportes deste país já acostumado as baixas temperaturas, mas que nesta quarta estabeleceu um novo recorde do consumo elétrico.

Graças a esta onda de frio, a Holanda inaugurou sem problemas nesta quarta-feira a temporada de patinação em gelo natural num lago de Utrecht (centro), onde a camada de gelo alcançou os 12 centímetros.

Na França e na Hungria, a neve e o gelo dificultaram a circulação em algumas regiões sem que se registrassem problemas maiores, mas os serviços meteorológicos anunciam mais neve nas próximas horas.

Também na Alemanha, paralisada há dias por temperaturas abaixo de zero, são esperadas fortes nevascas a partir de sexta-feira.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host