UOL Notícias Notícias
 
08/01/2010 - 09h34

Iraque: líder xiita Sadr apela por resistência contra ocupação dos EUA

NAJAF, Iraque, 8 Jan 2011 (AFP) -O líder rebelde xiita Moqtada al-Sadr lançou um chamado neste sábado a seus seguidores, para que "resistam por todos os meios à ocupação" americana, em seu primeiro discurso em Najaf desde que retornou ao Iraque, após quatro anos em exílio voluntário.

Apesar de seu poderoso Exército de Mahdi ter se dispersado em 2008, depois de ter combatido o exército americano em diversas ocasiões, Moqtada al-Sadr voltou a denunciar a "ocupação" dos Estados Unidos em seu país.

Além disso, pediu unidade entre os iraquianos, afirmando que a população deve apoiar o governo de união nacional de Nuri al-Maliki.

"Resistiremos sempre contra o ocupante, através da resistência militar e por todos os medios", declarou Sadr diante de milhares de pessoas no bairro de Al Hanana, no centro da cidade sagrada de Najaf, a 150 km da capital Bagdá.

"O Iraque passou por momentos difíceis que fizeram o mundo todo chorar, com exceção de nossos inimigos: os Estados Unidos, Israel e a Grã-Bretanha", afirmou Sadr, de 30 anos, que passou o exílio estudando na cidade iraniana de Qom, considerada sagrada pelos xiitas.

O líder xiita destacou que iraquianos não devem atacar iraquianos: "Nosso braço não tocará os iraquianos. Nosso único alvo será a ocupação. Somos um povo e não estamos de acordo com grupos responsáveis por assassinatos".

Sadr voltou ao Iraque na quarta-feira.

Quase oito anos após a queda de Saddam Hussein, os Estados Unidos ainda mantêm 50.000 soldados no Iraque. Estas tropas, no entanto, concluíram sua missão de combate em agosto de 2010, e agora dedicam-se apenas a treinar as forças de segurança iraquianas. Até o fim de 2011, todo o contingente deve ter deixado o país.

"Escutamos o discurso (de Moqtada al-Sadr), mas não ouvimos nada de novo", disse à AFP David Ranz, porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Bagdá.

O Exército de Mahdi, que contava con 60.000 soldados, chegou a ser identificado pelo Pentágono como a principal ameaça à estabilidade do Iraque, e as autoridades americanas consideram que o nível de violência no país diminuiu consideravelmente desde o fim de suas operações.

Os seguidores de Sadr, no entanto, ainda possuem forte influência entre os iraquianos, tendo obtido 39 dos 325 assentos do Parlamento durante as eleições legislativas de março de 2010. Além disso, contam com seis ministros no novo governo de união.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host