UOL Notícias Notícias
 

11/01/2010 - 16h22

Sobrinha de ministro britânico acusada de homicídio é julgada na França

VERSAILLES, França, 11 Jan 2010 (AFP) - Jessica Davies, sobrinha do secretário britânico de Defensa Quentin Davies, acusada do assassinato de um jovem francês em 2007 (crime pelo qual pode ser condenada a até 30 anos de prisão), começou a ser julgada nesta segunda-feira por um tribunal francês.

Nas primeiras horas do dia 11 de novembro de 2007, Jessica Davies ligou para a polícia francesa avisando que havia esfaqueado Olivier Mugnier, de 24 anos, em seu apartamento, localizado no luxuoso subúrbio de Saint-Germain-en-Laye, no oeste de Paris, indicaram fontes judiciais.

Jessica Davies, que tinha 28 anos na época, havia conhecido Mugnier em um bar irlandês horas antes de sua morte. No tribunal, ela não demonstrou nenhuma emoção durante a leitura da ata de acusação, que contém sua confissão à polícia em novembro de 2007.

"Eu o fiz. Não posso dizer por quê, mas fiz. Sou um monstro", afirmou Davies, segundo o texto da ata, lida no começo da audiência.

"Eu só queria fazer um pequeno corte, mas a lâmina entrou toda", dissera aos policiais em 2007. Estes, quando chegaram a seu apartamento depois do crime, a encontraram tão bêbada que ela sequer pôde comparecer perante um juiz no mesmo dia, segundo fontes judiciais.

O corpo de Olivier Mugnier apresentava facadas, várias delas no pescoço. Sua morte, no entanto, foi causada por um golpe no peito, segundo a polícia.

Nesta segunda-feira, na sala do tribunal penal de Versailles (oeste de Paris), Davies não falou sobre o que aconteceu naquela madrugada, referindo-se apenas a sua família e a seus transtornos adolescentes.

"Aprendi muito pouco a estabelecer vínculos. A cada ano mudava de amigos", contou, antes de mencionar a dolorosa separação de seus pais e uma vida universitária caótica, durante a qual consumiu cocaína regularmente e tentou o suicídio uma vez, em 2004.

Falando na corte, sua mãe, Monique Davies, descreveu a filha como "uma adolescente perturbada pelas dificuldades familiares", em particular sua avó materna maníaco-depressiva e um tio paterno esquizofrênico.

Interrogada sobre os problemas de Jessica com o álcool, Monique disse que sua filha "não sabe ter limites".

Ainda de acordo com fontes judiciais, os psiquiatras que examinaram a ré chegaram à conclusão de que a jovem apresenta problemas psicológicos e "transtornos de personalidade".

O julgamento deve durar dois dias, e o veredito será divulgado na terça-feira.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host