UOL Notícias Notícias
 

14/01/2010 - 09h40

Novo chefe talibã no Paquistão escapa de bombardeios dos EUA

O novo líder dos talibãs no Paquistão, Hakimullah Mehsud, se encontrava num campo de treinamento até pouco antes que um avião sem piloto americano bombardeasse o local, matando 10 pessoas, segundo um porta-voz islamita, que negou as versões sobre a morte do dirigente.

"Hakimullah Mehsud estava no lugar atacado", confirmou, num telefonema à AFP, o porta-voz do grupo Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP, aliado da Al-Qaeda e dos talibãs afegãos), Azam Tariq.

"Mas Mehsud já tinha ido embora quando o ataque aconteceu. Ele está vivo, e a salvo", acrescentou.

Canais de TV locais haviam divulgado mais cedo versões da morte de Hakimullah Mehsud, que assumiu em agosto passado o comando do TTP, em substituição a Baitullah Mehsud, morto num bombardeio americano realizado no último dia 5.

Em 9 de janeiro, Hakimullah Mehsud apareceu num vídeo junto ao cidadão jordaniano que, no mês passado, matou sete agentes da CIA e um oficial jordaniano num atentado numa base da central de inteligência americana no Afeganistão.

O autor do atentado proclamou nesse vídeo-testamento que sua ação era uma vingança contra a morte de Baitullah Mehsud.

Dez pessoas morreram nesta quinta-feira por mísseis disparados por um avião americano guiado por controle remoto em um distrito tribal ao noroeste do Paquistão, onde Washington ataca regularmente líderes da Al-Qaeda e talibãs.

"Foi um ataque executado por um drone (avião guiado por controle remoto) americano", declarou à AFP um oficial do serviço secreto paquistanês, que pediu anonimato.

O ataque o sétimo do tipo, aconteceu no vilarejo de Pasalkot, no distrito do Waziristão do Norte, fronteiriço com o Afeganistão, reduto dos talibãs paquistaneses aliados da Al-Qaeda e dos talibãs afegãos.

"Pelo menos 10 pessoas, insurgentes islamitas basicamente, foram mortos por estes mísseis, mas o balanço pode ser maior", confirmou à AFP um oficial do Exército paquistanês, que também pediu anonimato.

A área atacada é dominada pelo grupo TTP.

Quase 80 bombardeios executados por drones, aeronaves que apenas a CIA e o Exército americano dispõem na região, foram registrados desde agosto de 2008, provocando mais de 700 mortes, e o ritmo aumentou nas últimas semanas.

Washington não reconhece oficialmente os ataques e Islamabad protesta publicamente contra as violações de sua soberania nacional. Mas tanto a imprensa americana como paquistanesa informam que são fruto de um acordo secreto entre os dois países.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host