UOL Notícias Notícias
 

15/01/2010 - 09h41

Americano é resgatado após 50 horas nos escombros de hotel no Haiti

"Passei 50 horas aqui dentro!", exclama Richard Santos, um americano de 47 anos que acabava de ser tirado das ruínas do Hotel Montana, situado na parte alta de Porto Príncipe.
  • Arte UOL

    Nome oficial: República do Haiti
    Capital: Porto Príncipe
    População: 9.035.536
    Idiomas: francês e francês crioulo
    Religião: católica, protestante,afro-americanas
    Etnias: negros (95%), mulatos e brancos (5%)
    IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 148º
    Tipo de governo: república presidencialista
    Divisão administrativa: o país é dividido em 10 departamentos



O hotel se transformou em uma pilha de escombros, onde as equipes de socorro formadas por franceses, americanos, chilenos e venezuelanos tentam encontrar sobreviventes desde quinta-feira.

Pouco antes, conseguiram salvar uma francesa. "Se precisássemos de uma prova de que se tratava efetivamente de uma francesa, era só dizer que a dama, assim que saiu, nos pediu um copo de vinho. Que evidentemente não demos", contou Rebecca Gustafson, da Agência Americana de Ajuda ao Desenvolvimento (Usaid).

Durante a noite de quinta, os 30 militares da Defesa Civil francesa e seus quatro cães farejadores conseguiram retirar sete americanos e uma haitiana que estavam presos num bolsão da recepção do hotel, cujo teto de concreto desabou com os tremores.

"Para pessoas que passaram 50 horas sob os escombros, todos estão em um bom estado de saúde", indicou o comandante francês Samuel Bernes.

A primeira americana retirada de meio das placas de concreto, Carla Shawn, de 65 anos, agradeceu ao governo francês e aos bombeiros antes de comer um biscoito da ração de combate oferecido pela equipe de resgate.

Richard Santos, o segundo americano a ser salvo, dava mostras de estar numa inesperada ótima forma, embora não conseguisse acreditar no tempo que passou soterrado. "Passei 50 horas aqui dentro! Cinquenta horas!", repetia, incrédulo, enquanto era atendido pelos médicos.

Outras três americanas foram resgatadas e depois mais quatro americanos e a haitiana.

A poucos metros de distância, uma equipe americana procedente de Washington conseguiu salvar uma francesa.

"A cooperação com os franceses tem sido excepcional", enfatizou Rebecca Gustafson.

Um país devastado

  • Caio Guatelli/Folha Imagem

    Vista aérea da cidade de Porto Principe mostra região atingida por terremoto de 7 graus


No total, 14 sobreviventes foram retirados das ruínas do Hotel Montana, das quais também foram recuperados cinco corpos.

Segundo uma avaliação aérea feita por uma missão da ONU, algumas áreas da capital haitiana sofreram até 50% de destruição, com muitas casas e prédios desabados.

"As primeiras estimativas indicam que 10% dos imóveis de Porto Príncipe foram destruídos, o que globalmente implica que há 300.000 pessoas sem teto", afirmou Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Quase de 3,5 milhões de pessoas moravam nas zonas afetadas pelo tremor de 7,0 graus de terça-feira, também de acordo com a Organização das Nações Unidas.

No entanto, o OCHA não quis informar um balanço de vítimas e aguarda informações da Missão das Nações Unidas de Estabilização do Haiti (Minustah).



Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h00

    -0,87
    3,153
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h05

    0,35
    70.259,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host