UOL Notícias Notícias
 

15/01/2010 - 06h50

Juiz impõe medidas cautelares a generais por abuso contra Zelaya

Um juiz hondurenho impôs na noite de quinta-feira medidas cautelares a seis comandantes militares, após uma audiência na qual foram acusados de abuso de autoridade e expatriação ilegal do presidente deposto Manuel Zelaya.

Os seis devem se apresentar duas vezes por mês à justiça e não podem deixar o país, de acordo com a decisão do juiz Jorge Alberto Rivera, informou o diretor do departamento jurídico do Exército hondurenho, Juan Sánchez, responsável pela defesa dos generais.

"Não concordamos com a resolução do juiz, mas a respeitamos", declarou Sánchez.

"Estamos preparando todos os argumentos legais para a defesa e seguir adiante", completou.

Rivera, presidente da Suprema Corte, foi designado pelo tribunal para receber o processo e aceitou em 11 de janeiro a denúncia do procurador geral Luis Rubí contra a cúpula militar pelos fatos de 28 de junho de 2009, data do golpe de Estado.

Zelaya, que retornou de surpresa a Honduras em 21 de setembro e desde então está abrigado na embaixada do Brasil, afirmou que a denúncia contra os militares é uma "farsa", para que fiquem impunes com acusações de crimes menores.

Os generais denunciados são Romeo Vásquez, comandante do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas; Venancio Cervantes Suazo, subcomandante do Estado Maior; Carlos Cuéllar, inspetor geral do Exército; Luis Javier Prince Suazo, comandante da Aeronáutica; Miguel García, comandante do Exército, e Juan Pablo Rodríguez, comandante da Marinha.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h20

    0,25
    3,137
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h29

    -0,65
    75.506,59
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host