UOL Notícias Notícias
 

18/01/2010 - 12h21

Ataque talibã contra prédios oficiais mata cinco em Cabul

Cinco pessoas morreram e 38 ficaram feridas nesta segunda-feira em um ataque coordenado dos talibãs contra o palácio presidencial e vários ministérios de Cabul, onde à tarde ainda eram ouvidos disparos, apesar do anúncio das autoridades de que a segurança foi restabelecida.

Também morreram sete homens-bomba, dois deles ao ativar os cinturões de explosivos e os outros em ações das forças de segurança.

Este é um dos ataques mais violentos executados na capital do Afeganistão desde que as tropas internacionais lideradas pelos Estados Unidos derrubaram o regime talibã no fim de 2001.

As explosões e os disparos de metralhadoras transformaram o coração da capital afegã em um campo de batalha durante quase quatro horas.

"Temos cinco mártires e 38 feridos", declarou Sayed Kabir Amiri, diretor dos serviços hospitalares no ministério da Saúde.

"Há civis e membros das forças de segurança entre os mortos. A maioria dos feridos é de civis", completou.

A presidência afegã divulgou um comunicado no início da tarde no qual afirma que "o presidente Hamid Karzai assegura aos habitantes de Cabul que a situação está sob controle e que a segurança foi restabelecida".

"Os inimigos do povo afegão cometeram uma série de ataques hoje, espalhando o medo e o terror entre o povo", completa a nota.

Os governo dos Estados Unidos condenou os ataques, que chamou de "desesperados e desumanos", mas alertou para a possibilidade de novas tentativas.

"Os criminosos com certeza não sobreviverão nem terão êxito. Mas podemos prever que este tipo de ataque vai se tornar frequente", declarou o representante especial dos Estados Unidos para o Afeganistão e o Paquistão, Richard Holbrooke, que está em Nova Délhi.

Apesar do governo garantir que as forças oficiais retomaram o controle da maioria dos edifícios atacados, um correspondente da AFP ouviu uma forte explosão seguida de intensos disparos no epicentro dos ataques após o anúncio de Karzai.

Os talibãs executaram ataques coordenados pela manhã no centro da cidade, apesar da forte presença de tropas afegãs e internacionais.

"Os alvos são o palácio, os ministérios da Justiça, Finanças e Minas, e o Banco Central", declarou à AFP Zabibullah Mujahid, porta-voz talibã, por telefone de um paradeiro desconhecido.

"Vinte de nossos homens entraram na região", completou.

Quase quatro horas depois ainda eram ouvidos tiros esporádicos no bairro do palaáio presidencial.

Imagens exibidas pela televisão mostraram um centro comercial de Cabul em chamas, com os soldados tomando posições.

Outro centro comercial, o Gulbahar Center, próximo ao hotel Serena, também foi atacdo.

As ruas, com carros queimados e edifícios em chamas, ficaram desertas, sobretudo na praça central de Pashtunistaá, isolada pela polícía.

Os habitantes permaneciam presos dentro de casa ou das lojas nas ruas que levam ao palácio presidencial e os ministérios.

Os ataques eram pouco frequentes em Cabul desde a queda dos talibãs no fim de 2001, mas nos últimos meses ganharam força, apesar da presença de mais 113.000 soldados estrangeiros.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host