UOL Notícias Notícias
 

18/01/2010 - 19h23

Bill Clinton no Haiti defende o ritmo da ajuda

O ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, enviado ao Haiti, defendeu nesta segunda-feira o ritmo da entrada de ajuda externa ao país devastado pelo terremoto, apesar do aumento da preocupação com a demora da chegada dos carregamentos.

"Não, não acredito que os países tenham sido lentos a intervir", declarou Clinton, encarregado por Barack Obama, junto com o também ex-presidente George W. Bush, de conduzir uma campanha para recolher doações para o Haiti.

Assim que chegou, Bill Clinton, acompanhado da filha Chelsea, foi ao hospital geral de Porto Príncipe onde constatou a situação caótica dos feridos muito numerosos.

"Estão fazendo um trabalho remarcável em vista das dificuldades a que estão confrontados", afirmou Bill Clinton à AFP.

Apesar das condições lamentáveis em que se encontra o hospital, com carência de medicamentos básicos, Bill Clinton destacou que a ajuda ao país segue em ritmo aceitável.

"Não, não acho que esteja tardando em chegar", disse Clinton à AFP enquanto caminhava pelos corredores do hospital repletos de feridos.

"A infraestrutura do país foi quebrada, e temos que reconstrui-la; o problema é esse", acrescentou.

"Sinto um dever profundo em relação ao povo haitiano de estar no local e encontrar-me com o presidente René Préval para estarmos seguros de que nossa resposta continua a ser coordenada e eficaz", declarou o ex-presidente antes de viajar para o Haiti.

Os Estados Unidos lideram missão humanitária internacional no país, onde, os distúrbios e os saques somam-se à demora na entrega de víveres e água.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host