UOL Notícias Notícias
 

24/01/2010 - 15h10

EUA vão se manter "na ofensiva" contra Bin Laden

Os Estados Unidos vão continuar "na ofensiva" contra Osama bin Laden, afirmou a Casa Branca neste domingo, pouco depois de o líder da Al-Qaeda ter reivindicado o atentado frustrado contra um avião de carreira americano no dia do Natal.

"Vamos continuar na ofensiva contra Bin Laden e a Al-Qaeda para proteger o povo americano", declarou na rede CNN David Axelroad, o principal conselheiro do presidente Barack Obama.

Em breve gravação áudio divulgada na manhã deste domingo pelo canal Al-Jazeera, o chefe da Al-Qaeda prestou homenagem ao "herói" Umar Faruk Abdulmutallab, o jovem nigeriano que tentou explodir um avião entre Amsterdã e Detroit (norte dos EUA).

Bin Laden ainda ameaçou os Estados Unidos com novos ataques se eles não pararem de apoiar Israel.

Tanto Axelroad como Robert Gibbs, o porta-voz da Casa Branca, destacaram que a autenticidade da gravação não foi comprovada. A Al-Jazeera, que costuma divulgar as mensagens de Bin Laden, afirmou que se trata mesmo da voz do líder terrorista.

Para Axelroad, esta nova mensagem apresenta "os mesmos argumentos vazios de sempre para justificar o massacre de inocentes". "É irônico observar que em nome do Islã, ele (Bin Laden) já matou mais muçulmanos que adeptos de qualquer outra religião", comentou.

Robert Gibbs expressou a esperança de que mais de oito anos após os atentados de 11 de setembro de 2001, os Estados Unidos finalmente consigam capturar o chefe da Al-Qaeda.

"Acredito que todos entendem que se trata de alguém que surge de repente em nossas vidas com uma gravação, porque nada mais é do que um terrorista e um bandido covarde e assassino que, algum dia - que espero próximo - será levado à justiça", disse Gibbs no canal de TV Fox.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host