UOL Notícias Notícias
 

03/02/2010 - 13h13

Ahmadinejad gera expectativas com nova iniciativa nuclear

O presidente Mahmud Ahmadinejad declarou que o Irã não tem problemas quanto a uma troca de urânio com as grandes potências, que discutem um reforço das sanções internacionais contra Teerã em função de sua política nuclear.

"O Irã sempre esteve disposto a trocar com o Ocidente uma parte de seu urânio levemente enriquecido por um combustível altamente enriquecido para ser utilizado em seu reator de pesquisa de Teerã, segundo afirmou Ahmadinejad em uma entrevista nesta terça-feira à tv estatal consagrada basicamente a questões econômicas.

"Eu não vejo qualquer problema. Certas pessoas (no Irã) se agitam por por nada. Ninguém assinou um contrato ainda", afirmou.

O presidente iraniano não deu, no entanto, qualquer precisão sobre a quantidade de urânio em questão, um dos principais obstáculos nas negociações com as grandes potências.

O ministro iraniano das Relações Exteriores Manuchehr Mottaki também classificou de positiva a prosta da AIEA de enriquecer urânio no exterior, em declarações feitas nesta quarta-feira em Ancara.

Esta proposta, que Teerã rejeitou até o momento, consiste que o Irã envie a maior parte de seu urânio levemente enriquecido (3,5%) por um combustível altamente enriquecido (20%) para a Rússia e a França para obter o tipo de combustível necessário para seu reator de pesquisas científicas.

Os ocidentais temem que o Irã, utilizando seu programa civil como fachada, esteja tentando produzir urânio enriquecido para construir armas atômicas, algo que o Irã sempre desmentiu.

A Grã-Bretanha classificou de sinal positivo as declarações do presidente Ahmadinejad, sobre sua disposição de enriquecer uma parte de seu urânio no exterior.

"Se o Irã está disposto a aceitar a oferta da Agência Internacional Energia Atômica (AIEA), seria um sinal de positivo de sua boa vontade para se envolver com a comunidade internacional na questão nuclear", declarou o ministério britânico das Relações Exteriores em um comunicado.

O chanceler russo Sergei Lavrov também expressou sua satisfação com as declarações do presidente iraniana.

"Se o Irã estiver disposto a voltar ao acordo original, só podemos dar as boas-vindas para esta decisão", afirmou Lavrov.

Já a Alemanha afirmou esperar por uma proposta concreta do Irã à AIEA.

"O Irã deve adotar compromissos concretos com a AIEA e a única medida que podemos avaliar será a de uma resposta concreta em Viena (sede da agência)", afirmou o porta-voz do governo alemão, Ulrich Wilhelm.

O ministro chinês das relacões, Yang Jiechi, considerou, por sua vez, que é urgente prosseguir com as negociações com o Irã quanto à questão nuclear.

Por outro lado, o Irã anunciou nesta quarta-feira que lançou com êxito o terceiro foguete espacial Kavoshgar-3, que transporta uma "cápsula experimental".

"O Irã testou com êxito o foguete espacial Kavoshgar-3, de fabricação local, que transporta uma cápsula experimental", informou o Al-Alam.

A emissora exibiu imagens do interior da "cápsula", enviadas segundo o canal a partir do espaço, que contém vários animais, incluindo um rato e tartarugas.

Também exigiu imagens do foguete em voo feitas, ao que parecer, da cápsula. As imagens mostraram a separação entre o foguete e a cápsula.

O lançamento anterior de um foguete do tipo Kavoshgar aconteceu em novembro de 2008.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host